fbpx

Eu sempre escrevo sobre como a tecnologia do sensoriamento remoto empodera os financiadores do agronegócio e traz segurança para suas operações financeiras. Mas hoje quero ir para o lado prático.

Para ilustrar como uma cobrança ativa pode fazer a diferença entre o recebimento e a inadimplência, trago um caso que aconteceu nesse domingo.


Sobre a BR Agrícola

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

A BR Agrícola é uma revenda de insumos agrícolas focada em produtos que incrementam a produtividade e garantem a sanidade da lavoura de seus clientes. A BR Agrícola confiou em nós o monitoramento de uma fazenda remota no nordeste do Mato Grosso, município de Querência.

Análise do penhor agrícola

Como garantia desse financiamento, foram fornecidas duas matrículas que, somadas, deveriam constituir uma área penhorada de cerca de 470 ha de milho.

Dado que a contratação da TerraMagna foi realizada já no decorrer da safra, a operação e a seleção do seu colateral foram realizadas sem a análise de capacidade agronômica do FIDES, nossa plataforma de segurança em operações financeiras no agronegócio. Por isso, começamos justamente com a valoração do penhor agrícola – em 13 de junho, quinta-feira passada.

A primeira matrícula era constituída totalmente por floresta nativa – incultivável.

A segunda, embora agriculturável, correspondia apenas a 50% da capacidade agronômica prevista no penhor.

Isto é, a BR Agrícola descobriu, na iminência do término da safra, que a cobertura do seu crédito era metade da que supusera inicialmente. Evidentemente, não eram boas notícias.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
Área em penhor com vegetação nativa – isto é, sem capacidade agronômica.

Renegociação da garantia para reduzir a exposição do crédito

A exposição de crédito descolaterizado motivou a BR Agrícola a buscar outras matrículas do produtor que pudessem complementar a garantia anterior. Para isso, solicitaram o monitoramento de outras áreas do mesmo agricultor, com vistas à renegociação da garantia – com inclusão de outra matrícula como compensação àquela com floresta nativa.

Apesar de a renegociação da garantia ter sido, naquele momento, a opção mais adequada, dado que paralelamente anularia a exposição do crédito e não seria invasiva ao produtor, o cenário mudou no último domingo, dia 16 de junho.

Arresto

No último domingo, 16 de junho, o FIDES detectou atividade de colheita nas áreas de penhor da BR Agrícola. Com a esvaziação do penhor iniciada e a data de vencimento da CPR apenas para 30 de junho, uma ação incisiva – tutela antecipada – foi necessária.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Contando com as evidências indeléveis tanto da exposição a priori quanto da esvaziação do penhor, a BR Agrícola solicitou a tutela antecipada da garantia para evitar uma potencial inadimplência. A opção alternativa – esperar o inadimplemento se caracterizar e tentar arrestar o grão no silo – seria proibitivamente arriscada.

Com isso, a colheita foi interrompida e hoje – 19 de junho – o pedido de tutela antecipada foi deferido. Felizmente, a ação energética da BR Agrícola quando confrontada com seu risco de crédito fruiu resultado e nosso cliente garantiu o recebimento.

E se…?

Na falta de informação rápida e actionable, a BR Agrícola tanto não saberia ter crédito descoberto quanto que a pouca cobertura que tinha estava se esvaindo. Arrestar os grãos no silo depois que são encaminhados é uma loteria – afinal, para qual armazém eles foram enviados? Estão sob qual nome? Eles advêm da sua área de penhor, ou de alguma outra? Em resumo, agir preventivamente – quando a produção penhorada ainda está no campo – oferece mais segurança na hora da cobrança.

E se, na falta dessas informações, essa inadimplência houvesse se materializado? Nesse caso, a dívida seria rolada para diversas outras safras e, na prática, nem o principal da concessão original seria recuperado em valor presente. Para evitar isso, bastam uma postura ativa e informações cirúrgicas na hora da cobrança.


A isenção dos dados, a consciência situacional em áreas remotas, a frequência dos dados e automatização das análises permitiram que a BR Agrícola agisse assertivamente na cobrança, mesmo com uma colheita-relâmpago iniciada no domingo. Tudo sem a necessidade de uma única visita presencial a campo.

Essa tecnologia está disponível também para a sua empresa, através do FIDES.

Conheça mais sobre a solução visitando nosso site ou, se tiver alguma dúvida específica ou quiser bater um papo sobre a ferramenta, me envie um e-mail no [email protected] que terei prazer em responder.