fbpx

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Com muitas novas oportunidades surgindo no horizonte, 2019 foi um ano importante para o agronegócio brasileiro. Entre as promessas trazidas pela nova MP do Agro e os desafios que o clima trouxe na última safra, tivemos o ano-padrão do agro: sem padrão.

Olhando para trás e analisando os artigos que publiquei durante esse ano, fiz uma seleção dos assuntos que foram mais vistos e, agora, quero compartilhar com você alguns insights sobre esses temas.


5 – Consequências do atraso da Safra 2019/20

Conceder crédito e cobrar em uma safra abundante é fácil – porém, como navegar com o mar mais turbulento e com a perspectiva de problemas no desenvolvimento – e, por tanto, no recebimento – da safra?

Com o atraso da safra 2019/20 por conta do clima, produtores, financiadores e seguradores ficaram apreensivos. Dissecamos as principais estatísticas para entender o que estava acontecendo e os impactos da mudança de data na janela de plantio da safra.

Leia o artigo na íntegra.


4 – A inadimplência no agronegócio, de 2015 a 2020

Segunda parte de uma série de três artigos sobre a inadimplência no agro, compilamos diversas notícias que mostravam que o atual cenário do agronegócio foi construído paulatinamente desde 2015.

Aliado a essas publicações na mídia, compartilhei algumas anedotas do nosso dia-a-dia na TerraMagna para que essas situações servissem como alertas para uma gestão mais consciente do penhor agrícola, a maior proteção do financiador do agro.

Leia o artigo na íntegra.


3 – Desmistificando as operações de Barter

Quem vive o agro sabe que grande parte do custeio da safra não é feito no mercado financeiro convencional, mas pela revenda do interior, pela agroindústria, pela trading, pela cooperativa, que estão no campo e vivem para o campo.

Analisando o crédito no agronegócio brasileiro antes e depois da implementação das operações de barter, o artigo mostra o funcionamento básico desse tipo de operação – que traz vantagens tanto para os fornecedores de insumos quanto para os produtores.

Leia o artigo na íntegra.


2 – Como a nova “MP do Agro” revoluciona o agronegócio brasileiro

A MP do Agro trouxe novas regras para o agronegócio com potencial de revolucionar o barter e a estrutura de crédito. Ela foi tema de alguns artigos em 2019.

Regulamentação de emissões de títulos do agronegócio (CPR, CRA e CDCA) em moeda estrangeira e a Cédula Imobiliária Rural (CIR) que permite usar como garantia uma fração da fazenda foram algumas das principais novidades da medida provisória.

Esses mesmos pontos sofreram ainda alterações – todas positivas – no início de dezembro, prometendo aumentar ainda mais a capacidade de criação de oportunidades.

Leia o artigo na íntegra.


1 – Barter já representa 40% das compras de insumo no Brasil na safra 2019/20

Com o dinheiro do Plano Safra 2019/20 sendo liberado mais tarde em 2019, os produtores rurais não conseguiram usufruir da prática de usar os juros do empréstimo da safra passada para financiar o novo plantio.

As taxas elevadas do crédito a juros controlados fizeram com que o crédito privado se tornasse mais interessante para o produtor, reforçando a tese de que o atual sistema de crédito rural está ultrapassado e não atende mais a demanda do agro.

As operações de barter foram então a grande aposta para custear o início desse novo ciclo. Porém, com os desafios desta safra como a instabilidade do clima e a alta do dólar, foi preciso estar atento para garantir o recebimento.

Leia o artigo na íntegra.


Se tem uma percepção que fica depois de 2019 é que nosso mercado de crédito para o agronegócio está amadurecendo. A saída do crédito subsidiado, o aumento das operações de barter e as taxas livres praticadas no mercado são todos sinais de que os tempos estão mudando.

Que 2020 traga ainda mais oportunidades para toda a cadeia do nosso agro!