Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Estamos acostumados a ver a tecnologia presente em nosso cotidiano e nas grandes metrópoles. Mas já reparou o quanto ela também está cada vez mais presente no agronegócio?

Da mesma maneira que ela torna possível, por exemplo, prever a variação climática em determinadas regiões durante os próximos meses, hoje também já temos recursos totalmente eficazes para acompanhar uma safra desde o início da plantação até a colheita.

Um bom exemplo é o monitoramento agrícola via satélite. Mas por que ele é tão importante? A resposta é simples, através dele é possível conter o alto índice de inadimplência. Através do seu uso, o financiador tem informações constantes e exatas das áreas plantadas. 

Até pouco tempo, o monitoramento das lavouras era feito exclusivamente através das visitas a campo. Elas eram executadas por agrônomos que, muitas vezes, além de darem suporte técnico, atuavam como representantes comerciais, rodavam as áreas agrícolas para fiscalizar as garantias.


Visitas a campo funcionam?

A resposta é simples. Vou explicar através de um caso recorrente: um agrônomo chega para analisar uma lavoura com área total de 100 hectares. Por mais bem intencionado, quanto dessa área ele consegue visitar e analisar em algumas horas? 10% de área plantada? Será que os problemas que ele observou correspondem à realidade de toda a lavoura?

Essa completa falta de presença no campo leva a um dos modos mais comuns de fraude: o não plantio. Nesses casos, não é raro o produtor deixar de plantar na área acordada na garantia do financiamento e empregar o capital recebido para outros fins. Como o financiador geralmente não visita a lavoura, ele é o último a descobrir o prejuízo. Se a safra termina e ele não recebe, a dívida pode se estender por anos.


Como a tecnologia resolve a situação

Com o monitoramento via satélite e o processamento das informações, o financiador tem a visão total da área do seu produtor, recebendo dados importantes sobre o andamento da safra.

Não é mais necessário trabalhar apenas com uma amostragem da área, uma vez que os satélites têm o potencial de analisar uma área como a do Estado do Mato Grosso inteiro em cerca de 40 minutos. Dessa maneira, a visita do agrônomo é otimizada, sendo necessário que ele apenas constate problemas apontados, não que fique procurando por eles.

Usando soluções inteligentes como o FIDES, nossa plataforma exclusiva de monitoramento, todo o processo de coleta de imagens e análise é feito automaticamente. No momento em que é verificado que o plantio não foi realizado, o financiador recebe um alerta sobre a questão e pode tomar as medidas necessárias para reavaliar e renegociar seu contrato. E o mais importante: evita fraudes!

Poder ter visão de todas as propriedades financiadas sem sair do escritório é algo muito valioso em vários sentidos, até mesmo por manter os agrônomos em casa, em época de isolamento social como a que estamos vivendo.