De acordo com a Organização das Nações Unidas, a população mundial deverá atingir aproximadamente 9,7 bilhões de pessoas até 2050, aumento de cerca de 25% se comparado com 2020. Com essa projeção, fica mais evidente a importância do aumento da produção agrícola no Brasil para dar conta da crescente demanda.

Apesar dos recordes registrados ultimamente, o crescimento precisa ser intensificado. A produção de milho, por exemplo, precisa crescer pelo menos 10% ao ano para conseguir atender as demandas dos mercados interno e externo, segundo o presidente executivo da Abramilho, o ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli, em conversa exclusiva com a TerraMagna. 

Os desafios para o crescimento são inúmeros, e é exatamente para vencer os obstáculos que se torna cada vez mais fundamental o conceito da Agricultura 4.0, termo que já vem sendo discutido e empregado nos últimos tempos.

Agro 4.0 se refere à utilização de alta tecnologia no campo, promovendo a conectividade dos dados coletados pelas tecnologias, contribuindo assim para o desenvolvimento de toda cadeia produtiva. Através do conceito é possível elevar os índices de produtividade, reduzir custos, aumentar a qualidade do trabalho realizado, diminuir os impactos ao meio ambiente, além de outras vantagens.

Cada vez mais, o assunto tem sido pauta no setor público. Prova disso é que os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Economia e da Ciência, Tecnologia e Inovações e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial lançaram no início do mês o edital do programa Agro 4.0.

O investimento será de quase 5 milhões de reais em 14 projetos pilotos de adoção e de difusão de tecnologias 4.0. A principal ideia é aumentar a produção e eficiência no campo, através de recursos tecnológicos. O programa é voltado a empresas do setor produtivo, especialmente produtores rurais e agroindústrias, que irão realizar a adoção dessas inovações em suas unidades, fazendas ou plantas. Estas empresas poderão submeter propostas de projetos em parceria com demais instituições.

Desafios

Um dos principais desafios para a Agricultura 4.0 é exatamente a conexão no campo. Segundo um estudo da Esalq-USP, apenas 4% da área rural do Brasil é conectada à internet, o que mostra falta de infraestrutura e necessidade de investimentos. Essa carência afeta diretamente o crescimento da modernização rural, utilização de novas tecnologias e a conectividade das informações.

Segundo o Departamento de Apoio à Inovação, seria preciso cerca de 15 mil antenas de transmissão para ampliar a cobertura rural para aproximadamente 90%. Um longo, porém importante, caminho a ser traçado.