Portal do Distribuidor

Artigos exclusivos para você aprimorar sua produção e faturar mais.

Sistemas de irrigacao de arpersao

Aspersão: invista em eficiência e versatilidade para as lavouras

A aspersão é um dos tipos de irrigação mais comuns na agricultura brasileira. Esse processo é muito importante para o desenvolvimento da lavoura e permite que o agricultor tenha um controle maior sobre sua plantação. 

Existem várias vantagens de investir nesse tipo de irrigação, mas também é preciso entender como o processo funciona para avaliar a necessidade e fazer os investimentos corretos. 

Entenda o que é a aspersão, quando ela é indicada e o que você precisa para ter esse tipo de irrigação na sua lavoura. 

O que é aspersão na agricultura

A aspersão nada mais é do que uma técnica de irrigação de lavoura. Ou seja, é uma das formas de regar a plantação. 

A irrigação por aspersão simula o fenômeno da chuva, fazendo a rega por gotículas, que caem por cima das plantas e chegam ao solo. É diferente, portanto, da irrigação direta no solo, em que se encharca mais a terra. 

No caso da aspersão, o intuito é manter o solo úmido, bem como as folhas e o próprio ar, já que as gotículas aumentam a umidade local. 

Dependendo da cultura plantada, essas características são essenciais; por isso, a aspersão é bastante utilizada. 

Essa chuva artificial é feita com um mecanismo chamado aspersor, que faz a pulverização da água, espalhando-a por uma região maior. 

Esse tipo de técnica é muito comum na agricultura brasileira, pois atende a diferentes culturas e consegue aumentar o controle do agricultor sobre o desenvolvimento da sua plantação. 

Assim, em qualquer momento do ano, é possível ver esse tipo de mecanismo funcionando no desenvolvimento de diferentes plantações, de acordo com a necessidade de cada uma. 

Como funciona a técnica de aspersão

A aspersão é considerada uma chuva artificial na lavoura, e a rega é feita a partir das gotículas de água dispersas pelo aspersor. 

Essas gotículas caem sobre a plantação, mantendo a estrutura da planta e o solo úmidos, além de aumentar a umidade local também. 

Quando se pensa em gotículas, muita gente pode achar que o método é demorado ou não é eficaz.

Porém, por simular uma chuva, é um tipo de irrigação muito versátil e com grandes resultados, já que praticamente toda cultura precisa desse tipo de contato com a água e umidade vinda das gotículas. 

Assim, é possível controlar melhor a maneira como a água chega às plantas. 

O processo é tão eficaz que a irrigação por aspersão é considerada o tipo básico, isto é, qualquer agricultor pode investir nesse sistema para poder ter resultados. 

Sistemas de irrigação

Para que a irrigação por aspersão funcione da maneira devida, é preciso criar todo um sistema de irrigação que leve essa água pela lavoura.

Eles podem ser divididos em dois principais: os convencionais e os mecanizados. 

Sistema de irrigação convencional

Sistema de irrigação por aspersão convencional.
Foto: IrrigaGlobal

É considerado um sistema básico de irrigação, ou seja, praticamente em toda lavoura há esse tipo de irrigação por aspersão. 

Nesse caso, são distribuídos tubos por toda a área plantada, com aspersores mais altos, que fazem a dispersão da água em gotículas. 

Para regar toda a área, o agricultor precisa mudar o local dos aspersores manualmente ou criar um sistema que diferencie as áreas para controlar a chegada de água. 

Assim, depois de fazer a rega em uma área, os aspersores são retirados dessa região e colocados em outra, para molhar outro local. 

Nesse sistema, é preciso existir: 

  • sistema de captação de água;
  • bomba para subir a água; 
  • tubulação principal e ramais; 
  • aspersores. 

A maneira como é construído o sistema e seus caminhos de tubulação também dependem das necessidades da lavoura, que precisam ser avaliadas pelo agricultor.

Sistema de irrigação mecanizado

Sistema de irrigação por aspersão mecanizado.
Foto: IrrigaGlobal

A principal diferença, como o nome sugere, é que a troca de local não precisa ser feita manualmente. A irrigação é móvel, ou seja, os aspersores se movimentam na lavoura. 

Por isso, esse tipo de sistema é indicado para grandes plantações, em que se torna inviável ficar mudando manualmente o local dos aspersores, ou quando se quer acelerar processos. 

Nesse caso, toda a movimentação dos aspersores é feita de maneira mecânica. Os aspersores ficam em grandes instrumentos sobre rodas que se movimentam pela lavoura dispersando a água na plantação. 

Para que seja utilizado esse sistema de irrigação, são necessários alguns mecanismos específicos: 

  • a base do instrumento de irrigação, com motor e fornecimento de eletricidade;
  • bomba de água na base; 
  • linha lateral móvel (se desloca perpendicularmente da base central, que fornece a água);
  • motores elétricos para a movimentação e o acionamento dos aspersores;
  • pivô central, caso a irrigação seja feita de maneira circular. 
Sistema de irrigação por aspersão mecanizado por pivô central, em círculos.
Foto: IrrigaGlobal

Esse tipo de sistema de irrigação garante uma maior área irrigada em menos tempo; contudo, é considerado de maior complexidade. Por isso, acaba saindo mais caro que o sistema convencional. 

Porém, o agricultor que quiser melhorar sua irrigação por aspersão pode encontrar nesse sistema a solução. Assim, vale a pena investir em algo mais sofisticado e ganhar em lucratividade no final da safra. 

As vantagens e desvantagens da irrigação por aspersão

Como vimos, a irrigação por aspersão é uma das mais versáteis e vantajosas para os agricultores. 

Mas quais são, exatamente, as vantagens da aspersão em comparação com outros processos? 

As principais vantagens da irrigação por aspersão são:

  • viável para praticamente todos os solos;
  • eficaz para o desenvolvimento da plantação;
  • consegue atingir toda a área plantada;
  • maior precisão da quantidade de água por área;
  • estrutura customizável de acordo com a necessidade;
  • menos necessidade de manutenção;
  • pode ser combinada para aplicação de outros insumos. 

Claro, também existem algumas desvantagens que precisam ser levadas em consideração:

  • custo de energia para sistemas mecanizados, mas também para os convencionais; 
  • custo de água para manter a irrigação;
  • maior necessidade de atenção com umidade, para não gerar doenças nas plantas;
  • dificuldade de implementação do sistema em locais com fortes ventos;
  • menos eficiência em altas temperaturas, pois muitas gotículas evaporam. 

Mesmo com algumas desvantagens, de maneira geral, a irrigação por aspersão é a opção com melhor custo-benefício para a maior parte das lavouras. 

Por isso, é um investimento certeiro, que traz resultados claros na produtividade agrícola, assim como na qualidade dos produtos finais. 

Elaborando um sistema de irrigação por aspersão

Um dos passos para aproveitar a eficiência da aspersão é fazer um sistema de irrigação adequado com a lavoura e a necessidade. 

Esse passo é tão importante que geralmente é feito por um profissional qualificado, focado apenas em projetar o melhor sistema para a realidade do agricultor. 

Para isso, levam-se em consideração os seguintes aspectos:

  • os recursos necessários para eficiência;
  • os recursos disponíveis (mão de obra, finanças, etc.); 
  • economia de água; 
  • maior eficiência na rega;
  • área plantada;
  • cultura plantada; 
  • quanto o agricultor tem para investir;
  • e muitos outros pontos, de acordo com análise do profissional. 

Com as informações e os estudos feitos, é preciso viabilizar o projeto do sistema de irrigação. No caso do sistema convencional:

  • onde serão colocados os tubos principais;
  • onde ficarão as ramificações (geralmente perpendiculares ao vento);
  • como distribuir as tubulações para maior eficiência;
  • onde ficará a bomba de água (mais próximo possível);
  • nivelamento de terreno;
  • entre outros pontos. 

Já no sistema mecanizado, o projeto serve para:

  • definir o espaço de passagem do maquinário;
  • qual maquinário utilizar para não prejudicar o solo;
  • como atingir maiores áreas;
  • como economizar na água e na energia para a bomba; 
  • entre muitos outros pontos. 

Ou seja, fazer um sistema de irrigação por aspersão realmente eficiente e funcional é algo que pode ser complexo, pois precisa de pesquisa e dimensionamento da lavoura

Por isso, é sempre indicada a contratação de um profissional para fazer os estudos de recursos e projetar tudo pensando em conseguir mais eficiência e economia.

Investindo na técnica

Como foi possível perceber, a irrigação por aspersão é uma técnica muito positiva para a lavoura e também para os agricultores. 

Isso porque consegue facilitar o dia a dia do agricultor e aumentar a produtividade agrícola. 

Porém, mesmo o sistema convencional de irrigação precisa de investimentos para funcionar bem e trazer resultados. 

Além de comprar os utensílios e maquinários necessários, também é preciso montar o sistema da maneira correta, geralmente trabalho feito por um profissional qualificado. 

No caso do sistema mecanizado, os investimentos são ainda maiores, mas os retornos também, já que é possível aumentar a área plantada e, com isso, lucrar mais no fim da safra. 

Entretanto, o maquinário utilizado também é mais sofisticado e, por isso, mais caro, fazendo com que o custo aumente. 

Ou seja, quem quer fazer a lavoura render mais e aumentar a lucratividade precisa investir em sistemas de irrigação por aspersão, seja o mais simples, sejam os mais complexos. 

Uma boa ideia para o agricultor que precisa comprar ou trocar seu sistema de irrigação por aspersão é optar pelo crédito agro, voltado especialmente ao atendimento das necessidades do agronegócio brasileiro.

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Pesquisar

Receba nossos conteúdos exclusivos feitos pelos nossos especialistas

A TerraMagna traz crédito inteligente para distribuidores de insumos de maneira simples e rápida.

Contato

Acesse o Fides