TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Zoom na biomassa, materia organica que vira energia

Biomassa: uma aposta promissora para o futuro da agricultura

A biomassa tem sido cada vez mais utilizada no Brasil, por se tratar de uma fonte energética muito eficiente, que se destaca por sua disponibilidade e por ser sustentável.

A matriz energética no mundo passou por muitas mudanças nos últimos anos; além do uso do petróleo, há uma busca por fontes renováveis. Por isso, a biomassa é de vital importância.

O Brasil, país rico em água e energia solar, é beneficiado nessa situação, pois tem as condições climáticas ideais para a produção de biomassa. Se você quer conhecer melhor essa fonte energética inovadora, continue lendo.

O que é biomassa?

Biomassa é toda matéria orgânica, oriunda de vegetais ou animais, que é usada para produzir energia; como exemplos dessa fonte energética, podemos citar lenha, cana-de-açúcar, etc.

Segundo relatório da ANEEL, cerca de 14% da energia consumida no mundo é oriunda da biomassa, cuja energia vem da queima dessas matérias-primas.

Vale ressaltar que isso não inclui combustíveis fósseis – como o carvão, o petróleo e o gás natural –, apesar de serem de origem vegetal e mineral. Os combustíveis se enquadram em outro tipo de energia.

A biomassa se refere apenas ao que deriva de organismos vivos, enquanto os combustíveis são resultado de transformações que demoram anos para ocorrer.

Assim, o diferencial da biomassa em comparação com os combustíveis fósseis (que não são renováveis) é o fato de ela ser renovável.

A renovação da biomassa acontece devido ao ciclo do carbono: quando queimada, a biomassa libera CO² na atmosfera, e as plantas, por meio da fotossíntese, transformam o CO² nos hidratos de carbono e liberam oxigênio.

Uma dúvida comum é: o que é usado para produzir a biomassa? Resumidamente, são os restos da pecuária, da agricultura e de outras atividades, bem como a parte biodegradável de resíduos sólidos; por exemplo:

●       lenha;

●       bagaço da cana-de-açúcar;

●       papel e papelão usados;

●       serradura de madeira;

●       galhos e folhas de árvores;

●       casca de arroz;

●       lodo de estações de tratamento de esgoto.

Além de ser usada para a produção de eletricidade, a biomassa também é o principal elemento de vários novos tipos de combustíveis e fontes de energia, como o bio-óleo, o biogás e o biodiesel.

Como a energia de biomassa é gerada?

Outra dúvida comum relacionada à biomassa é a forma como a energia é gerada; para isso, existe uma usina.

Semelhantemente às termelétricas, a usina da biomassa converte o calor da queima dos materiais orgânicos em energia. Esse processo pode ser realizado de quatro maneiras:

Combustão

A combustão é a forma mais convencional de produzir energia de biomassa, por meio da queima em altas temperaturas, processo que envolve o oxigênio. O vapor produzido por esse fenômeno move as turbinas, e, assim, produz-se eletricidade.

Pirólise

Na pirólise, há a queima da biomassa em altas temperaturas, mas sem oxigênio; desse modo, o processo de decomposição ocorre mais rápido.

Os resultados da pirólise podem ser líquidos (ex.: o bio-óleo) ou sólidos (ex.: o carvão vegetal); a queima também pode produzir calor e eletricidade.

Gasificação

Na gasificação, a biomassa também é queimada sem oxigênio, mas seu produto final é um gás inflamável chamado gás de síntese.

Esse biocombustível é uma mistura de hidrogênio e monóxido de carbono de alta combustão, usado para produzir energia.

Co-combustão

Essa técnica usa a biomassa para substituir parte do carvão mineral utilizada na produção de energia.

A co-combustão reduz a emissão de poluentes e o nível de poluição nos solos e nas águas, além de diminuir os desperdícios.

Quais são as vantagens e as desvantagens da biomassa?

A biomassa tem vários pontos positivos, especialmente por ser uma fonte renovável. Entre outras vantagens, podemos destacar:

●       tem um custo reduzido;

●       reduz a emissão de gases poluentes;

●       é fácil de armazenar, converter e transportar;

●       pode ser gerada a partir de vários materiais;

●       consegue aproveitar resíduos.

No entanto, nem tudo são flores; a biomassa tem um forte impacto ambiental, podendo comprometer a flora e a fauna de áreas verdes. Outras desvantagens dela incluem:

●       tem menor poder calorífico;

●       contribui para a formação da chuva ácida;

●       tem um custo elevado de equipamentos;

●       é difícil armazenar e transportar a biomassa sólida.

Quanto custa gerar a biomassa?

O baixo custo é um dos benefícios mais atrativos da biomassa. Um relatório da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) fez uma estimativa de custo de expansão das principais fontes energéticas do Brasil entre 2016 e 2025.

De acordo com o estudo, gerar um megawatt-hora (MWh) a partir de biomassa custa, em média, R$ 189,78. Esse valor coloca esse tipo de energia no terceiro lugar entre as fontes analisadas pela EPE.

Os outros destaques entre as mais baratas são a energia eólica (R$ 155,98) e a hidrelétrica (R$ 185,24).

Vale destacar que, entre os recursos com maior potencial para ser usado como biomassa na geração de energia elétrica no país, está o bagaço da cana-de-açúcar.

A importância da biomassa no Brasil

O Brasil é um terreno fértil para a expansão e a produção de energia de biomassa, visto que conta com extensas áreas cultiváveis e com um clima favorável quase o ano todo.

Um exemplo disso é que a lenha já chegou a representar 40% da produção energética primária do país.

E hoje, segundo informações do governo, a biomassa é a terceira maior fonte da matriz energética brasileira, com uma participação em torno de 9%.

O cenário é positivo, e a tendência é melhorar. Estudos realizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) identificaram a biomassa como uma das fontes com maior potencial para diversificar a matriz nacional e reduzir a dependência dos combustíveis fósseis.

Conforme mencionamos, o recurso com maior potencial no país é o bagaço da

cana-de-açúcar, mas há também outras variedades vegetais, como o azeite de dendê, o buriti, etc. Vamos nos aprofundar em algumas opções agora!

Tipos de biomassa usados na geração de energia

Entre as diversas opções existentes no mercado de biomassa hoje, as principais são:

Casca de arroz

Por muito tempo, as palhas e cascas de arroz não tinham um fim específico e acabavam sendo queimadas, causando fortes impactos no meio ambiente.

Nos últimos anos, isso mudou, e a palha tem sido usada para gerar energia em usinas no Sul do país. O resíduo é transformado em partículas e adicionado ao carvão.

Devido à sua rápida combustão e ao grande poder calorífico, a casca de arroz também é uma ótima opção de combustível para as cerâmicas.

O arroz é produzido em vários lugares do Brasil, por isso a disponibilidade desse material para a geração de biomassa é bastante alta.

Casca de coco-verde

O Brasil possui, em média, 273 mil hectares cultivados com coqueiros, cujas cascas são comumente jogadas no lixo. Elas podem passar por trituradores e, depois, serem usadas para substituir a lenha na combustão.

A casca do coco tem muitas vantagens, entre elas o alto poder calorífico na geração de energia; ademais, o pó da casca pode se tornar substrato agrícola e a fibra pode ser transformada em vasos e estofados para carros.

Eucalipto

O eucalipto chega a produzir 25 toneladas de biomassa por hectare em um ano. Essa plantação é bastante utilizada pela indústria farmacêutica; além de sua extração de mel, ele é um dos principais recursos utilizados pelo setor carvoeiro.

O eucalipto também oferece a cogeração de energia elétrica, uma vez que é um produto energético renovável.

Outro ponto positivo é que, em termos de açúcar fermentável, sua composição é a mais favorável para a produção de energia do que a do bagaço de cana-de-açúcar.

Pellets de madeira

Os pellets são um combustível sólido de granulado de resíduos de madeira prensada, muito usado em fornos de padaria e cerâmica, aquecimento de estufas, etc.

Não é preciso cortar árvores para produzir os pellets, pois estes são considerados desperdícios da própria natureza.

Ouriço da castanha

Um estudo do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (IMPA) afirmou que o ouriço da castanha pode ser utilizado na geração de energia de in natura e como subproduto.

Uma das vantagens do ouriço é a elevada densidade energética; quanto maior for sua densidade, maior será a energia armazenada.

Outro benefício é o fato de ser sustentável, visto que não há necessidade de plantar e depois cortar, como acontece com outras espécies.

A biomassa de ouriço tem potencial para ser aproveitada como lenha em usinas, caldeiras, olarias e indústrias siderúrgicas de fabricação de aço verde.

O futuro vem aí, e com ele está a biomassa!

Assim, podemos dizer que a biomassa é uma fonte de energia que pode ser usada para diversos fins. A produção ocorre na queima de materiais como lenha, resíduos agrícolas, excrementos de animais e até lixo.

A matéria-prima da biomassa pode gerar várias outras fontes de energia, como o carvão vegetal, o etanol e o biodiesel.

É considerada uma fonte de energia renovável, pois o material orgânico que é queimado durante a sua produção é renovado no ciclo do carbono.

As plantas e os animais formam a biomassa; por isso, seu uso é considerado estratégico, afinal é um recurso energético barato, eficiente e que não agride tanto o meio ambiente.

Trata-se, portanto, de uma fonte produtiva e inovadora, que tem forte relação com a agricultura.

Se você, produtor, quer ficar por dentro de novidades como essa e também ter plantações produtivas, conte com a TerraMagna!

Nossa tecnologia permite conceder crédito para distribuidores e produtores de forma mais rápida e com taxas mais justas. Desse modo, você pode obter recursos para investir nos seus cultivos!

Quer saber mais? Então fale com um dos nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades