TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Estrada com lavoura em volta para ilustrar o cafir

Cafir: tudo sobre o Cadastro de Imóveis Rurais

Se você é proprietário de imóveis rurais ou um profissional que atua na contabilidade rural, provavelmente já se deparou com alguma notícia sobre o Cadastro de Imóveis Rurais (Cafir).

O cadastro é crucial em qualquer situação, pois gera valor agregado ao imóvel rural, facilitando desde a captação de recursos financeiros até a comercialização de produção deles. 

Sem contar que, se for necessário vender o imóvel ou realizar qualquer transação, esse documento será solicitado e é preciso tê-lo em mãos.

Por essa razão, para ajudar você a entender melhor como fazer o Cafir e quais os outros documentos e cadastros importantes atrelados a ele, continue a leitura e confira o material que preparamos!

O que é Cafir? 

É o Cadastro de Imóveis Rurais, sendo essencial para realizar qualquer transação que envolve uma propriedade rural. 

Segundo consta na Lei Nº 9.393, de 19 de dezembro de 1996, “considera-se imóvel rural a área contínua, formada de uma ou mais parcelas de terras, localizada na zona rural do município”. 

Se você tiver uma propriedade rural ou atuar nessa área, além de fazer o cadastro, também precisa arcar com o Imposto Territorial Rural (ITR); claro, isentando-se alguns casos. 

Por exemplo, proprietários de pequena glebas rurais são isentos do imposto, mas para isso é preciso atender a alguns critérios: 

  • não possuir outros imóveis e realizar a exploração da sua propriedade de maneira individual ou com a família
  • o imóvel rural deve ter 30 hectares ou menos;
  • as propriedades rurais devem ter 50 hectares ou menos, quando localizadas em município compreendido pelo Polígono das Secas ou pela Amazônia Oriental; 
  • as propriedades rurais devem ter 100 hectares ou menos, quando localizadas em município compreendido pela Amazônia Ocidental ou pelo Pantanal Mato-Grossense e Sul-Mato-Grossense.

Outros casos que permitem a isenção do ITR 

  • O imóvel rural é parte do programa oficial de reforma agrária e caracterizado como assentamento. 

Para isso, ele deve ser explorado por associação ou cooperativa de produção, devendo atender aos limites anteriormente destacados. 

  • Conjunto de imóveis rurais que pertencem a um mesmo proprietário, respeitando os limites já explicados. 

Lembrando que o proprietário não pode ter imóvel urbano e deve explorar a propriedade com a família ou sozinho, podendo, eventualmente, contar com auxílio de terceiros. Além do mais, não se pode arrendar, fazer comodato ou parceria. 

  • Imóveis rurais localizados em áreas de preservação permanente e de reserva legal. 
  • Propriedade rural em área de interesse ecológico focada na proteção da biodiversidade local.

É importante entender a necessidade de pagamento do imposto; todavia, independentemente disso, é necessário realizar o Cafir, pois para ele não há nenhuma isenção. 

Por que é necessário ter o Cafir?

O Cafir é solicitado pela Receita Federal com o objetivo de administrar os imóveis rurais e garantir a proteção dos proprietários caso haja problemas na sua propriedade. 

Por exemplo, se o proprietário precisar, por algum motivo, financiar, vender ou mesmo desmembrar a propriedade, o Cafir vai garantir que o procedimento seja concluído com sucesso.

Além desse cadastro, o dono precisa também ter o Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR), que explicaremos melhor a seguir.

Qual é a função do CCIR?

O CCIR tem finalidade cadastral e funciona como certificado de comprovação sobre a regularidade de um imóvel rural. 

Nesse documento, constam dados como informações sobre o titular, a área, a localização, a exploração e a classificação fundiária do imóvel rural.

Sem ele, não é possível fazer transferência, arrendamento, hipoteca, desmembramento ou partilha em caso de divórcio ou herança.

Ademais, o CCIR precisa ser apresentado quando forem feitas solicitações de empréstimos e financiamentos ou mesmo na concessão de crédito agrícola. 

Para emitir o documento, é preciso acessar o site do Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR). 

Após entrar no portal, deve-se preencher dados como código do imóvel rural, UF sede do imóvel, município-sede, além de informar se é uma pessoa física ou jurídica e o CPF do titular declarante.

Como fazer o Cafir?

Depois de entender mais sobre o CCIR, é hora de voltarmos para as especificidades de cadastro do Cafir. 

Desde 2021, a Receita Federal habilitou um novo procedimento que permite que todos os serviços ligados ao Cafir possam ser realizados e finalizados pelo portal e-CAC; anteriormente, era necessário levar a documentação até uma unidade de atendimento. 

Para isso, confira o passo a passo a seguir!

1° passo: sistema CNIR

A primeira ação a ser tomada pelo proprietário do imóvel rural é realizar a inscrição ou mesmo atualizar as informações dos imóveis rurais no Cadastro Nacional de Imóveis Rurais (CNIR).

A inscrição no CNIR é feita por meio da vinculação do NIRF com o cadastro no Incra (CCIR). Se você não tiver NIRF para o imóvel rural, ele pode ser obtido no momento da vinculação.

Para isso, acesse o CNIR, clique em Menu e, em seguida, em imóveis  (https://cnir.serpro.gov.br/). 

Para realizar a inscrição, localize o imóvel rural e clique em Gerenciar Vinculação, na coluna “Ações”, ao lado do imóvel que deseja vincular. 

Caso não encontre o imóvel, clique em Criar NIRF para Vinculação e depois envie a solicitação.

Para fazer a atualização dos dados do imóvel, acesse Atualizar Dados Tributários, na coluna “Ações”; no final, clique em Obter recibo de envio.

2° passo: Sistema Coletor Web (Cafir)

Acesse o Cafir, clique em Criar Solicitação e, em seguida, na opção desejada.

Complete o formulário eletrônico e, ao final, emita o Documento de Entrada de Dados Cadastrais do Imóvel Rural (Decir

3° passo: envio de documentação pelo e-CAC

Para acessar o e-Processo pelo e-CAC, clique em “Legislação e processo” e, em seguida, em “Processo Digital”; escolha a área de concentração CADASTRO e o serviço desejado.

O Dossiê Digital de Atendimento precisa ser aberto no nome da pessoa física ou jurídica a que se refere o serviço e será disponibilizado para solicitação de juntada de documentos por três dias úteis. 

4° passo: acompanhar o andamento do Dossiê Digital de Atendimento

O conteúdo do Dossiê Digital de Atendimento e outras informações poderão ser acessados a qualquer momento por meio do e-CAC, na aba “Meus Processos”.

O acompanhamento da solicitação também pode ser feito pelo Cafir – Coletor Web, com o preenchimento do número de recibo do Decir.

O resultado será informado por despacho no dossiê digital.

CNIR e NIRF: o que são?

Ao longo do artigo, temos explicado o Cafir, associando o cadastro a outros documentos importantes. É hora de conhecer outros dois que estão ligados ao Cadastro de Imóveis Rurais: o CNIR e o NIRF!

CNIR

De acordo com o site da Receita Federal, o Cadastro Nacional de Imóveis Rurais (CNIR) contempla uma base de dados estruturais sobre imóveis rurais. 

Tais informações servem para que as instituições públicas e entidades da sociedade civil produtoras e consumidoras de informações cadastrais possam subsidiar processos de trabalho.

Aspectos como natureza fundiária, fiscal, ambiental, trabalhista, registral, de controle do tráfego negocial e de produção estarão registrados no CNIR.

É muito importante que seja feito um processo de integração entre o Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR) e o Cadastro de Imóveis Rurais (Cafir), por intermédio da vinculação dos imóveis neles inscritos.

O objetivo é estruturar o CNIR, ou seja, vincular seu Número do Imóvel na Receita Federal (CIB) ao seu Código do Imóvel do Incra.

Lembrando que a vinculação pode ser feita entre imóveis já cadastrados no Incra (SNCR) e na Receita Federal (Cafir), ou imóveis cadastrados no Incra e ainda não cadastrados no Cafir, para a criação de um Cadastro Imobiliário Brasileiro (CIB).

NIRF

Todo imóvel rural deve ter um NIRF, que é Número do Imóvel na Receita Federal, não importando se é isento ou não do ITR.

Por meio dele, o imóvel rural é identificado perante a Receita Federal; logo, para obtê-lo, é preciso se inscrever no Cafir. 

Além de obrigatório, o NIRF é necessário, por exemplo: 

  • para preenchimento de Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR);
  • para consulta ou emissão de comprovante sobre situação cadastral de um imóvel;
  • para emissão de certidão negativa do Imóvel Rural, Certidão de Débitos Relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União de Imóvel.

Mais segurança ao proprietário rural

Diante de todos esses cadastros obrigatórios para o imóvel rural, nós podemos concluir que toda a burocracia acaba trazendo maior segurança jurídica aos proprietários rurais. 

Como vimos, não há segredos quanto ao registro do Cafir, mas é preciso que outros registros também sejam feitos, bem como o pagamento de impostos, quando necessário. 

Os imóveis rurais que não são regularmente cadastrados certamente encontram dificuldades em suas operações que diminuem o valor de mercado da propriedade rural e dificultam a obtenção de crédito rural, por exemplo. 

Falando em crédito rural, a gente sabe o quanto ele é importante para o desenvolvimento das propriedades rurais, contribuindo para o desenvolvimento da cultura e a compra de insumos agrícolas e máquinas

Para isso, conte com a TerraMagna! Nós oferecemos soluções de crédito rural para você investir em insumos agrícolas para a sua propriedade. 
Quer saber como funciona a liberação de crédito? 

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades