TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Cochonilha branca infestando uma planta verde

Cochonilha-branca: será que suas plantações estão infectadas?

A cochonilha-branca é conhecida por ser sugadora de seivas e por atacar hortaliças, frutíferas e plantas ornamentais, alojando-se na parte de trás das folhas.

Ela é capaz de acabar com a saúde das plantas e atrapalhá-las nos seus desenvolvimentos. 

Por isso, você deve mantê-la longe das plantações. Neste artigo, vamos te ensinar como identificar essa praga e evitá-las nas culturas.

O que é a cochonilha-branca?

A cochonilha-branca é uma praga sugadora de seiva, muito comum em períodos de seca e que se assemelha a bolinhas de algodão.

Ao atacar uma planta, ela forma amontoados esbranquiçados, principalmente no verso das folhas. 

As principais vítimas da cochonilha-branca são as seivas das plantas hortaliças, frutíferas e ornamentais.

Quando não identificada e tratada corretamente, ela pode levar as plantas à morte.

Pode também infestar mudas; as cochonilhas-brancas filhotes se alojam nas nervuras das folhas e, junto com as adultas, formam aglomerações em toda a planta.

Embora não exista um padrão de ocorrência de cochonilha-branca nas lavouras, o monitoramento periódico é necessário e deve ser integrado às práticas de manejo de outras pragas.

Para isso, o exame das plantas deve ser realizado principalmente no interior da folhagem, nas brotações, em rosetas com flores ou frutos.

Esses são os locais nos quais as cochonilhas brancas se alojam e formam colônias.

Como é a cochonilha-branca?

A cochonilha-branca é muito semelhante morfologicamente a outros tipos de cochonilha, o que torna difícil a sua distinção. 

Em todas as espécies, os filhotes apresentam pouco aspecto de cera, um par de filamentos na extremidade do abdome e grande mobilidade.

As mais adultas são maiores e possuem dois pares de filamentos caudais. Já as mais velhas apresentam 17 pares de filamentos cerosos ao redor do corpo e um par posterior, assemelhando-se à fêmea adulta.

As fêmeas adultas dessas espécies possuem o corpo em formato oval e coloração castanho-amarelada, coberto por uma cera branca. 

Medem entre 2,5 mm e 4 mm de comprimento e possuem 18 pares de filamentos cerosos ao redor do corpo.

Quais plantas são atacadas pela cochonilha-branca?

As cochonilhas-brancas são polífagas, ou seja, se hospedam em diversas plantas silvestres ou cultivadas, tanto no campo quanto em plantações protegidas.

No Brasil, a cochonilha-branca ataca as seguintes culturas:

  • cafeeiro; 
  • abacateiro; 
  • macadâmia; 
  • soja; 
  • batateira; 
  • cacaueiro; 
  • cana-de-açúcar; 
  • algodoeiro, 
  • citros; 
  • goiabeira; 
  • videira; 
  • bananeira, 
  • abacaxizeiro; 
  • carambola; 
  • coco; 
  • mangueira; 
  • figueira;
  • aboboreira.

Qual é a ocorrência da cochonilha-branca?

Há registros da ocorrência da cochonilha-branca em diversas regiões do Brasil; frequentemente, há um alerta aos surtos esporádicos dessa praga, que podem atingir níveis populacionais severos.

Essas cochonilhas vivem em colônias constituídas por indivíduos em vários estágios de desenvolvimento e que se alojam no interior das plantas.

Elas sugam a seiva do pedúnculo e a base dos frutos, causando o secamento ou a queda dos florais e frutos; esse dano é conhecido como roseta banguela. 

Plantas altamente infestadas podem apresentar queda de 100% de flores e frutos ou seca das rosetas. 

No inverno, a ocorrência da cochonilha-branca é nas raízes; o inseto para as raízes em decorrência das baixas temperaturas.

Como monitorar e controlar a cochonilha-branca?

O ataque da cochonilha é imprevisível, pois a praga pode ser transportada pelo vento, pelos animais que se alimentam da secreção açucarada que as plantas expelem e também por meio do caminhamento. 

A infestação ocorre em reboleiras; assim, alguns talhões podem sofrer ataques mais intensos enquanto em outros não são nem perceptíveis.

Desse modo, é necessário que se faça o monitoramento periódico da cultura para detectar a infestação dessa praga logo no início. 

A presença de filamentos lanuginosos brancos nos ramos e nas rosetas e a presença de formigas na planta e de mel nas folhas, que depois de algum tempo tornam-se escuros, são indícios da infestação da cochonilha.

As folhas tornam-se escuras devido ao fungo da fumagina, que se desenvolve nessas excreções açucaradas eliminadas pelas cochonilhas.

Ao encontrar esses sintomas na lavoura, deve-se identificar as reboleiras atacadas e, caso necessário, chamar um técnico especializado para avaliar o método de controle mais apropriado.

A cochonilha-branca possui um grande conjunto de inimigos naturais: predadores, parasitoides e fungos entomopatogênicos. 

Joaninhas, crisopídeos e parasitoides são muito importantes no controle natural da cochonilha-branca; muitas vezes, eles impedem que as cochonilhas causem danos econômicos nas culturas.

Porém, em algumas ocasiões, os inimigos naturais não são capazes de manter a densidade populacional da praga abaixo do nível de dano econômico.

Assim, pode ser necessário intervir com outras medidas de controle, como o uso de inseticidas. 

Vale destacar que as táticas de controle devem sempre favorecer a preservação desses agentes de controle biológico benéficos na lavoura.

Qual é a diferença entre pulgão, cochonilha-branca e fungo?

Essa é uma dúvida muito comum! Antes de pensar no que fazer quando vemos uma planta doente, precisamos identificar o que a está deixando assim.

Muitas pessoas costumam confundir essas três espécies. Para diferenciá-las, conheça a seguir as características de cada uma delas.

Pulgões

Os pulgões são pequenos insetos que, assim como a cochonilha-branca, sugam a seiva da planta, deixando-a fraca, soltando toxinas e transmitindo viroses.

Um dos alertas de infestação dos pulgões é a presença de formigas, pois elas são atraídas pelas secreções que os pulgões soltam, por serem açucaradas.

As formigas defendem os pulgões, protegendo-os de inimigos naturais, e servem como transporte para outras plantas.

Cochonilha

Você reconhece a cochonilha quando, na sua planta, aparece um amontoado esbranquiçado, seja no caule, nas folhas, nos brotos ou nos veios.

Ela suga a seiva das plantas e libera um óleo, deixando-a encerada e suscetível ao ataque de fungos.

Fungos

Quanto aos fungos, seu aparecimento está ligado ao ambiente propício para o seu desenvolvimento, como acesso a água, luz e matéria orgânica.

O fungo cinza germina quando a temperatura está entre 13 e 21 graus, visto que o frio é propício para seu desenvolvimento.

O fungo oídio gosta de ambientes úmidos e com pouca iluminação, são propícios e podem ser transportados pelo ar, pelas roupas e pelos animais. É conhecido por deixar uma espécie de pó branco nas plantas.

Outros tipos de cochonilha

Vale ressaltar que existem vários tipos de cochonilha além da cochonilha-branca, e todas elas são prejudiciais às plantas. As principais são:

Cochonilha-branca

Já mencionado ao longo do artigo, essa é a espécie mais comum, sendo encontrada tanto em jardins quanto em grandes plantações.

Seu desenvolvimento é dividido em 3 fases: ovo, larva e fase adulta. Inicialmente, a fase do ovo é a de maior movimentação, visto que é nela que a praga mais se espalha.

Ela costuma ficar na parte de baixo das folhas e dos brotos e, constantemente, produz uma substância pegajosa. 

Isso faz com que as folhas aparentem estar com cera na cobertura, e essa substância atrai formigas-doceiras. 

A presença desse tipo de cochonilha enfraquece e murcha a planta com facilidade e, consequentemente, retira os nutrientes.

Cochonilha-corante

Essa peste não traz apenas prejuízos; ela também tem uma variação que produz um corante usado em diversas receitas.

Isso mesmo; a cochonilha também pode ser usada como corante! Isso ocorre porque ela produz um extrato que pode ser empregado com essa finalidade.

Devido ao vermelho intenso dessa substância, ela é usada para dar coloração às comidas.

A cochonilha-corante tem um ciclo de vida de 102 a 180 dias, ou seja, ela demora para se estabelecer na planta. 

É considerada uma cochonilha perigosa, devido ao fato de que cada fêmea dessa espécie pode depositar mais de 500 ovos de uma vez só, bem como em razão do tempo de permanência na planta!

Cochonilha-rosada

De acordo com a Embrapa, essa é a espécie que tem menos ocorrência no Brasil. Apesar disso, é importante estar atento a ela, pois já foi encontrada uma vez em Roraima

A cochonilha-rosada ataca plantas extremamente importantes para a agricultura brasileira, como café, milho, feijão, uva, entre outras. 

Essas são apenas algumas das espécies de cochonilha – inclusive, umas são parecidas na coloração e nos danos que causam às plantas.

É preciso ficar atento à saúde das plantações para identificar se há incidência de cochonilha-branca nelas e também das outras espécies. 

Cuide das plantações; mantenha a cochonilha-branca longe!

Como você viu ao longo deste artigo, a cochonilha-branca é extremamente prejudicial para as plantações. 

Inicialmente, é possível que ela se manifeste de forma sutil; assim, ela pode demorar para ser reconhecida pelos produtores e agricultores. Nossa dica é: fique atento e faça vistorias frequentes!

Mesmo com todo o cuidado do mundo, essa praga pode surgir. Assim, também busque por herbicidas e fertilizantes para te ajudar caso elas apareçam.

O investimento nos cuidados e produtos certos pode te ajudar a ter fazendas cada vez mais ricas e produtivas. 

Se você quer auxílio nessa jornada para manter a cochonilha-branca longe e para aumentar a produtividade em campo, a TerraMagna pode te ajudar com isso! 

Nossa tecnologia permite conceder crédito para distribuidores e produtores de forma mais rápida e com taxas mais justas desse modo, você pode obter recursos para investir nos seus objetivos no campo!

Quer saber mais? Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades