TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
cochonilha de carapaca infestando planta

Cochonilha-de-carapaça: como controlar a praga?

Um dos maiores problemas com os quais uma lavoura pode sofrer é a infestação de doenças e pragas, que é o caso da cochonilha-de-carapaça. 

Apesar de algumas espécies não serem consideradas pragas e servirem para a produção de verniz, cera, medicamentos e até corante carmim, grande parte delas causa danos às plantações, podendo levar a perdas significativas da lavoura. 

O problema se torna ainda maior porque as cochonilhas são de difícil controle por meio de inseticidas encontrados no mercado, especialmente se elas tiverem uma espessa carapaça. 

Isso torna o controle biológico ainda mais importante para evitar que essa praga se alastre. 

Neste artigo, vamos te explicar com mais detalhes sobre a cochonilha-de-carapaça, desde o ciclo de vida, passando pelos principais representantes da espécie e muito mais. 

Pronto para conferir as informações? Continue a leitura!

O que é a cochonilha-de-carapaça?

A cochonilha-de-carapaça, Coccus hesperidum, é um inseto sugador; isso significa que ele se alimenta da seiva das plantas, sejam eles raízes, folhas, axilas ou frutos, o que leva ao enfraquecimento da vegetação.

Entre as suas principais características estão o corpo oval, que mede cerca de 3 mm a 4 mm de comprimento, contando para isso com uma simetria bilateral, em forma de domo. 

A sua carapaça dorsal é de coloração castanho-amarelada a esverdeada, com algumas máculas irregulares de cor castanho-escuro. 

A coloração vai ficando mais escura à medida que o inseto envelhece.

Cabe destacar também que a carapaça é uma estrutura firme, que confere resistência ao corpo do inseto. 

Ela é formada após a fixação do inseto em uma das partes da planta, a partir da liberação de uma substância que recobre o corpo, protegendo-o.

Origem

A cochonilha é um inseto originário do México e pertencente à ordem Hemiptera, sendo conhecida por atacar plantações e levando a uma série de perdas agrícolas. 

Eles são encontrados principalmente em folhas, frutos, ramos e raízes em diversas espécies de plantas. 

No mundo, hoje, há diversas espécies de cochonilhas que contam com tamanhos, formatos e coloração variados. 

O corpo dessa espécie pode ser coberto por flocos brancos e ter um aspecto farinhento, mas ele também pode ser ceroso, com cores variadas. 

Os formatos também mudam, com aspectos que incluem conchas de ostras, bolinhas, escamas, entre outros. 

Ciclo de vida

De maneira geral, o ciclo de vida da cochonilha se diferencia bastante de acordo com a espécie em questão. 

Em alguns exemplares, a metamorfose é completa, já em outras é incompleta. 

O tempo desse ciclo vai variar bastante, e pode ou não existir a necessidade de cópula.

Mas, de modo geral, o ciclo se resume à postura de ovissacos pelas fêmeas, se caracterizando pelo formato oval e pela secreção de uma substância que recobre o corpo, uma espécie de cera, formando, assim, uma carapaça. 

Esta tem o poder de fixar o inseto sobre as folhas e hastes das plantas. 

A reprodução como um todo pode acontecer de forma sexuada ou via partenogênese, ou seja, sem a presença de exemplares machos.

O ovo é o início da vida da cochonilha, de modo que todas as espécies passam por essa fase. 

A oviposição muda conforme a espécie, podendo variar de 50 a mais de 600 ovos por fêmea.

As ninfas surgem dos ovos; existem várias fases como ninfa, mas, de maneira resumida, podemos dizer que é nessa etapa móvel que as cochonilhas se espalham. 

Na fase adulta, elas já contam com a camada cerosa que forma a carapaça, e isso exige um cuidado especial com o manejo, que vamos explicar melhor mais à frente. 

Danos causados pela cochonilha

O fato de a cochonilha-de-carapaça ser um inseto com aparelho sugador faz com que a sua ação cause diferentes prejuízos à lavoura. 

Além de injetar toxinas nas plantas, as cochonilhas também são responsáveis por: 

  • causar a má-formação de folhas e frutos; 
  • levar as plantas à clorose, um processo de amarelecimento de folhas que posteriormente levam ao seu secamento e, consequentemente, reduzem a sua capacidade de realizar a fotossíntese; 
  • contribuir para a formação de fumagina, que é uma doença que ocorre nos vegetais formando fungos de coloração escura, capazes de reduzir a respiração e a transpiração das plantas; 
  • transmitir uma série de doenças, especialmente causadas por vírus;
  • retardar o início de produção da lavoura; 
  • levar à queda prematura de flores; 
  • causar a morte de plantas; quando sob ataque intenso, surgem rachaduras no tronco (árvores), prejudicando o deslocamento da seiva. 

Quais são os principais tipos de cochonilha-de-carapaça? 

Como já destacamos, existem diferentes tipos de cochonilha, que são divididas em sem carapaça e com carapaça. 

Por isso, pensando no assunto que estamos tratando, separamos três tipos principais de cochonilha-de-carapaça. 

Cochonilha-pardinha 

A cochonilha-pardinha se tornou uma praga séria no Brasil a partir de 1981, devido à sua infestação que aconteceu de forma intensa na região citrícola de Bebedouro, em São Paulo. 

Tal espécie de cochonilha possui um escudo ou carapaça, que tem formato quase circular, achatado e de cor amarelada-clara, com leve avermelhado na parte central.

Ela ataca especialmente as culturas citros, levando à diminuição do vigor e à queda da produtividade das culturas

Vale lembrar que tal inseto infesta todas as partes da planta, e, nas partes onde ocorre a sucção da seiva, há uma descoloração. 

Além disso, a cochonilha-pardinha é capaz de provocar manchas quando ocorre nos frutos, o que leva à perda de valor comercial. 

Cochonilha-cabeça-de-prego

A cochonilha-cabeça-de-prego possui carapaças e merece grande atenção, principalmente pelos sérios danos que causa à comercialização dos frutos.

Elas atacam culturas diversas, como abacate, banana, café, maçã, pera e uva.

Tal espécie de cochonilha ataca principalmente as plantas frutíferas, incidindo sobre ramos, folhas e frutos, o que leva à queda do seu valor comercial. 

Quando nos frutos, elas infestam principalmente a região próxima do cálice, além de ocorrer durante o período vegetativo das frutíferas, mas as infestações normalmente só ficam perceptíveis na colheita.

Cochonilha-do-tronco

As cochonilhas-do-tronco são bastante parecidas entre si, tanto no tamanho quanto na forma da carapaça, o que dificulta a sua identificação no campo. 

Como o próprio nome diz, elas se localizam normalmente no tronco, sob a casca das plantas. Geralmente, essa espécie ataca a cultura da uva. 

De acordo com a Embrapa, o ataque acontece de maneira agregada ao tronco e aos ramos da videira, ficando logo abaixo do ritidoma (casca).

Por se alimentarem e liberarem toxinas nas plantas, as cochonilhas causam o definhamento da videira, podendo inclusive matá-las em casos nos quais há um alto índice de infestação.

Como realizar o manejo da cochonilha-de-carapaça?

Para combater a cochonilha-de-carapaça, é preciso seguir um passo a passo, a fim de evitar que elas se espalhem!

Aposte em inseticidas naturais

Os inseticidas naturais são importantes agentes no combate à cochonilha-de-carapaça. Existem muitas alternativas destacadas em estudos e artigos; a seguir, vamos conhecer algumas dessas receitas. 

A primeira delas é uma mistura de óleo mineral e detergente neutro na mesma proporção, algo em torno de 10 ml de cada; em seguida, é preciso agitar para poder pulverizar nas folhas a mistura.

Outra receita feita é de querosene, óleo mineral, água e amido; nela, você pode fazer algo como 300 ml do óleo, 20 ml de querosene e 100g de amido para 10 litros de água.

Cuide do local

Uma dica simples, mas que muitas vezes é negligenciada, é ter atenção quanto aos insetos, principalmente após uma limpeza na área. 

Alguns fatores facilitam esse ataque, como solo inadequado, pouca luz, falta ou excesso de água, ausência dos nutrientes ou excesso de adubação. 

As cochonilhas, por exemplo, podem ser facilmente transportadas por gotas de chuva, então é importante que o local da lavoura passe por uma manutenção constante, bem como monitoramento.

Faça o controle biológico

Os principais inimigos naturais das cochonilhas são insetos predadores e fungos entomopatogênicos. 

Algumas larvas de mosca, como a Gitona brasiliensis, são capazes de predar ovos do inseto. Enquanto isso, algumas joaninhas, bem como as larvas do bicho-lixeiro, são capazes de predar ninfas e adultas. 

Mas é preciso atenção, pois ainda é complexo definir como controlar os insetos predadores a fim de que eles não agravem o problema de ataque às plantações.

Outra opção a ser utilizada são os fungos, que são inimigos naturais dessa praga. Entre os principais exemplares, temos o fungo-branco, o fungo-vermelho e o mofo-vermelho.

Plantações protegidas da cochonilha-de-carapaça

Nem sempre o controle de pragas é uma tarefa simples ou tem custos baixos; por isso, o monitoramento é o primeiro passo para evitar as infestações.

Se você é um distribuidor de insumos agrícolas, sabe da importância de orientar bem os produtores que chegam até o seu estabelecimento e oferecer bons produtos para o combate das cochonilhas-de-carapaça.

Quer mais recursos para investir e se tornar um aliado ainda mais forte do produtor no campo? Conte com a TerraMagna! Nós oferecemos soluções de crédito rural para você investir em insumos agrícolas para o seu negócio. 

Quer entender como funciona a liberação de crédito?

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades