TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Brotos de plantas no campo representando a drenagem

Drenagem: conheça as razões pelas quais ela deve ser feita no solo agrícola

A drenagem é essencial na agricultura, pois ela é responsável por manter o ambiente propício ao cultivo e em melhores condições.

Trata-se de uma técnica eficaz e muito usada no meio da agricultura, cujo principal resultado é a secagem do solo que está encharcado. Isso contribui muito para as possibilidades de plantio no local. 

Ou seja, para solos com excesso de umidade, a drenagem é extremamente indicada; assim, o plantio torna-se inviável. 

Com um solo drenado, você poderá aumentar a produtividade e criar novas áreas de cultivo. Quer entender melhor sobre a drenagem? Confira agora!

O que é drenagem?

O termo “drenagem” significa retirar ou escoar a água presente em determinada área; no caso da agricultura, diz respeito ao escoamento da água dos solos.

A remoção do excesso permite muitas condições necessárias para os trabalhadores, por exemplo:

  • aeração;
  • estruturação;
  • resistência.

O líquido acumulado na região dos solos pode apresentar duas origens: pode ser natural, como as águas das chuvas; ou artificial, oriundo de irrigação anterior, por exemplo.

O que a drenagem do solo busca é controlar a elevação dos lençóis freáticos existentes. Além disso, permite a lixiviação de sais oriundos das águas, o que evita a salinização do solo.

Quais são as vantagens da drenagem de solo?

Aumentar a fracção de solo preenchida por ar

Uma das principais vantagens da drenagem do solo é que ela aumenta a fração do solo preenchida por ar.

Sabe-se que a grande parte dos organismos do solo precisam de oxigênio para o seu metabolismo. 

Nos solos encharcados de água, a disponibilidade de oxigênio é limitada, o que acarreta um crescimento radicular menos acentuado e uma diminuição da atividade dos organismos. 

Essa condição de alta de oxigênio, em que se verifica uma drenagem ruim do solo, contribui para a inibição da nitrificação (transformação do azoto amoniacal em azoto nítrico) e promove a desnitrificação (transformação de azoto nítrico em azoto gasoso). 

Além disso, é evidente também que existem outras propriedades químicas do solo que também são alteradas com a boa ou má drenagem. 

Os solos em que há uma baixa capacidade de drenagem do solo, isto é, excesso de água, têm cor acinzentada. 

Isso acontece porque os óxidos de ferro, depois de reduzidos, são levados para o lençol freático, o que torna o solo mais claro.

Melhorar a capacidade de suporte do solo

Uma drenagem errada do solo pode atrapalhar na transitabilidade e operabilidade, o que causa, por exemplo, atrasos na sementeira. 

A melhoria da estrutura do solo por meio da adição de matéria orgânica e cálcio pode contribuir para melhorar a capacidade do solo para a drenagem natural.

Melhorar o regime térmico do solo

A drenagem do solo pode impactar a condutividade e a difusividade do solo. Essas propriedades térmicas são importantes para o cultivo das primeiras culturas.

Isso porque é fundamental o aquecimento rápido no início da primavera.

Diminuir os riscos de salinidade

A rede de drenagem em combinação com as redes de lavagem possibilita lavar os sais da zona radicular.

Diminuir a incidência de doenças

Existem muitas doenças que estão associadas ao excesso de água no solo; por isso, fazendo a drenagem, você pode evitá-las. Algumas das doenças são:

Evitar salinidade e problemas no solo

A salinização é resultado do aumento da concentração de sais na solução do solo. Se ocorrer em níveis elevados, ela compromete o desenvolvimento das plantas e a produtividade.

No Brasil, esse processo ocorre com maior frequência nas regiões áridas e semiáridas do Nordeste. 

Alguns fatores que colaboram para a salinização do solo nessas regiões são:

A baixa qualidade da água e a baixa eficiência do sistema de irrigação também contribuem para o acúmulo de sais na região do solo em que se encontra o sistema radicular das plantas.

Nesse caso, a irrigação e a drenagem subterrânea atuam juntas no controle dos níveis de sais presentes no perfil do solo.

A água da irrigação deve ser aplicada em quantidade que possibilite a infiltração por toda a profundidade do sistema radicular, ocorrendo, assim, a lixiviação dos sais. 

A drenagem subterrânea vai controlar a profundidade do lençol freático, a um nível abaixo da zona radicular das plantas.

É importante ressaltar que irrigação e drenagem são técnicas complementares e de grande importância para a agricultura.

Quais são as formas de drenar a água do solo?

O processo de drenagem na agricultura pode ser feito de duas formas: superficial e subterrânea. 

Vale destacar que é importante contar com um profissional habilitado, pois ele vai conseguir determinar a melhor forma de drenar a água da área.

Drenagem superficial

Esse tipo de drenagem consiste no escoamento das águas que se acumulam na superfície do terreno. 

Para isso, o terreno deve ser regularizado, de modo que deve ter um declive constante. 

Devem ser criadas valas para o escoamento da água acumulada, bem como se deve aumentar a secção de pontes e aquedutos e limpar, alargar e aprofundar as linhas de água.

A drenagem superficial elimina o excesso de água acumulado na superfície do solo. Nesse caso, o excesso de água pode ser provocado por chuvas intensas e também pela baixa taxa de infiltração de água no solo. 

Essa técnica consiste na abertura de valas ou canais para escoamento do excesso de água.

Drenagem subterrânea

A drenagem subterrânea controla o nível do lençol freático a uma profundidade que não prejudica o desenvolvimento das plantas. 

Ela consiste em retirar o excesso de água que existe no interior do solo, ou seja, reduzir o nível freático. Um elevado nível pode ser originado por:

  • uma camada impermeável mais ou menos superficial;
  • um elevado nível de um rio ou ribeiro;
  • chuvas intensas;
  • regas exageradas.

Para fazer uma drenagem subterrânea deve-se instalar drenos enterrados a cerca de
1 metro de profundidade e abrir valas profundas (0,8 m a 1 m de profundidade). 

Caso se trate de uma zona muito baixa, pode ser necessário extrair água.

Como fazer a drenagem do solo?

A técnica de drenagem do solo é complexa, por isso indicamos que ela seja feita por profissionais habilitados. 

Não existe receita pronta para esse processo; cada caso deve ser avaliado particularmente, levando em consideração fatores como:

  • origem do excesso de água;
  • condições climáticas;
  • questões hidrológicas;
  • topografia do terreno;
  • propriedades do solo;
  • fisiologia das plantações;
  • planejamento do uso da terra;
  • recursos financeiros disponíveis.

Sabemos que a drenagem do solo consiste num processo de remoção natural ou artificial, do excesso de água que se encontra no solo. 

Os drenos colocados no solo são tubos especializados, valas ou fossos particulares para drenar.

Esse processo começa com a verificação da origem do excesso de água no local que será drenado. 

Logo após esse procedimento, é feito um levantamento topográfico do local para elaborar um projeto mais certeiro de escoamento da água.

Vale ressaltar que todos os tipos de solo estão sujeitos a drenagem natural, e a intensidade depende das suas características edáficas. 

No entanto, apenas os solos que apresentem uma capacidade de drenagem insuficiente para a tolerância hídrica da cultura é que devem ser submetidos a drenagem artificial.

Isso tudo desde que os custos justifiquem, visto que, na maioria dos casos, os custos associados a esse processo são elevados. Assim, deve-se levar isso em consideração.

A partir dessas informações, é possível elaborar um projeto bem dimensionado e viável tecnicamente. Na drenagem agrícola, é possível utilizar bombas para acelerar o processo. 

No entanto, o uso de motores para retirada da água pode encarecer a drenagem; é importante lembrar que o projeto também precisa ser viável economicamente. 

Como os custos do processo de drenagem são altos, todo o cenário precisa ser avaliado com cuidado para o melhor direcionamento dos recursos. 

O projeto também precisa ser elaborado para minimizar os impactos ambientais.

Problemas da drenagem ineficiente e do excesso de água para as plantas

A água é indispensável para o desenvolvimento das culturas; no entanto, o excesso dela pode prejudicar e dificultar a produção.

Quando realizada de forma ineficiente, a drenagem pode não retirar todo o excesso de água. Desse modo, o solo não apresentará condições favoráveis ao desenvolvimento das plantas.

Alguns dos principais efeitos que o excesso de água pode causar a uma lavoura são: 

  • redução do crescimento do sistema radicular;
  • redução do tamanho das plantas;
  • redução das trocas gasosas do solo;
  • redução da fixação de nitrogênio;
  • amarelecimento das folhas;
  • deficiência de nitrogênio;
  • queda das folhas e de estruturas reprodutivas;
  • aparecimento de doenças;
  • morte das plantas;
  • queda de produtividade.

Saiba como lidar com os problemas no solo e invista na drenagem!

Com este artigo, você deve ter percebido que a drenagem pode ser uma das maiores aliadas das plantações, desde que seja feita da maneira certa. 

Tudo vai depender de outros fatores e dos insumos usados durante o processo; afinal, eles são importantes para o emprego de técnicas agrícolas adequadas para o solo.

Se você quer auxílio na escolha das melhores técnicas e práticas agrícolas, a TerraMagna pode te ajudar com isso! 

Nossa tecnologia de ponta permite conceder crédito para distribuidores e produtores de forma mais rápida e com taxas mais justas – assim, você pode conseguir obter os melhores adubos e produtos para suas culturas!

Quer saber mais?

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades