TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Agricultor aplicando fungicida na cultura da batata, folhagem verde abundante

Fungicida: como se livrar de fungos em sua lavoura

A utilização do fungicida nas plantações tem crescido nos últimos anos.
Sem eles, os fungos podem aumentar e se espalhar rapidamente, causando estragos no plantio e na colheita.

Por meio do uso do fungicida, o produtor previne impactos que afetam o rendimento e a qualidade da planta, evitando grandes prejuízos econômicos.

Descubra a real função do fungicida e os seus diferentes tipos lendo este artigo até o final.

O que é fungicida?

A maior causa de doenças nas plantações no mundo está relacionada à proliferação de fungos, gerando grandes perdas na produtividade da lavoura.

Os fungicidas são antifúngicos, isto é, combatem os fungos, servindo como proteção para as plantas, inibindo e matando precisamente o fungo causador de doenças. 

Afinal, quais são os tipos de fungicidas?

Os diferentes tipos de fungicidas são classificados conforme a atuação na planta, sendo eles:

  • fungicidas protetores;
  • fungicidas curativos;
  • fungicidas erradicantes; 
  • fungicidas antiesporulantes;
  • fungicidas sistêmicos; 
  • fungicidas de contato.

Conheça melhor cada um deles a seguir:

  1. Fungicidas protetores

Os fungicidas protetores são preventivos, evitando a penetração do fungo na planta.

Eles conseguem formar uma proteção na planta antes de o fungo se instalar, sendo utilizados nas folhagens e sementes.
É necessária a repetição das aplicações, para evitar que, ao se desenvolver, a planta não fique desprotegida.

  1. Fungicidas curativos

Esse tipo de fungicida consegue penetrar na planta, impedindo que o fungo atinja seu tecido.

Geralmente, funcionam melhor no início dos sintomas, quando ainda não são visíveis

  1. Fungicidas erradicantes

Impedem o desenvolvimento da doença causada pelo fungo, e a aplicação só deve ser feita após o surgimento dos sintomas da doença na planta.

São também usados para tratamento de sementes e do solo, geralmente em épocas de inverno, quando as plantas de clima equilibrado entram em descanso vegetativo.

  1. Fungicidas antiesporulantes

Evitam a formação de esporos. Essa classificação não inibe a doença, mas evita que eles contaminem as plantas ao redor.

  1. Fungicidas sistêmicos

O fungicida sistêmico pode ser absorvido pela planta no local da aplicação. Certos fungicidas têm o potencial de se mover pelos tecidos da planta. 


Essa absorção pode acontecer de duas maneiras: através das raízes ou pela aplicação do produto diretamente nas folhas.

  1. Fungicidas de contato

O fungicida de contato não consegue translocação na planta, ou seja, não ocorre o deslocamento da substância em seu interior, mantendo-se no local da aplicação.

É necessária a repetição das aplicações, por serem de fácil remoção pela ação de chuvas, irrigação ou degradação por luz solar.

Qual é a função do fungicida?

Como vimos, o fungicida tem o objetivo de prevenir a sobrevivência e a proliferação de fungos na plantação.

Ele controla a doença desde a fase de desenvolvimento e diminui os danos estéticos, principalmente nas folhas, nas quais a fotossíntese acontece.

As folhas precisam estar saudáveis, pois são elas as responsáveis por captar luz solar, que se converte em energia química para a produção da matéria orgânica.

Por que é tão importante usar os fungicidas corretamente?

Quando a planta apresenta alguma lesão, o produto perde seu valor de mercado. 

Isso porque partes comestíveis da planta podem ser afetadas, havendo prejuízo também quando plantas ornamentais, que dependem do seu encanto, são afetadas por fungos ou outros predadores.

A maior perda ocasionada por doenças fúngicas ocorre no pós-colheita; os fungos retiram a utilidade dos produtos armazenados.

Usar os fungicidas corretamente é importante para:

  • aumentar o tempo de armazenamento;
  • melhorar a qualidade do produto colhido; 
  • reduzir a contaminação dos grãos. 

Como se aplica o fungicida?

É muito importante verificar a compatibilidade do fungicida com a saúde da planta.

A primeira aplicação ocorre logo no início da plantação, como prevenção, sendo o mais importante de todos os estágios da planta.

A aplicação do fungicida deve ser realizada independentemente do clima ou da presença de sintomas de doenças, de maneira preventiva, em intervalos de tempo de 15 a 18 dias, evitando as chances de doenças na lavoura.

Quando aplicar o fungicida?

É importante também aplicar o fungicida antes do desenvolvimento da doença; outros fatores são:

  • aplicar antes da chuva;
  • proteger folhagem e brotos novos;
  • tratar de sementes;
  • proteger ferimentos;
  • desinfectar o solo;
  • pós-colheita;

Como escolher um fungicida?

A escolha do fungicida dependerá de alguns fatores para conquistar o controle satisfatório das doenças; são eles:

  • eficácia de controle;
  • espectro de ação;
  • momento em relação à doença;
  • residual de controle;
  • custo da aplicação.

Que fatores devem ser observados na escolha do fungicida?

Como vimos anteriormente, existem vários fatores que influenciam na escolha do fungicida, explicaremos sobre cada um deles a seguir:

Eficácia de controle

Primeiro, é preciso descobrir o que de fato necessita de controle. Cada fungicida tem uma serventia, que se altera de acordo com cada doença.

Espectro de ação

Podem ocorrer diversas doenças ao mesmo tempo na plantação (manchas, antracnose, ferrugem, oídio).

Por isso, a ação deve ser controlar várias doenças com o mesmo composto químico.

Momento em relação à doença

Os fungicidas utilizados como ação preventiva tendem a dar uma melhor resposta, proporcionando benefício ao fungicida em relação ao patógeno (micro-organismo).

Isso depende da fase de pré-penetração do fungo, que geralmente acontece logo na germinação e no crescimento da planta.

Nesse período, o fungo está frágil, com pequeno crescimento, facilitando o controle.

Residual de controle

No cultivo de HF (hortifrúti), que inclui hortaliças, legumes, verduras e frutas, podem ser usados fungicidas isolados.

Já o cultivo de grandes plantações, como soja e milho, exige um período maior de proteção, variando de 12 a 15 dias para que entreguem um bom residual.

Custo da aplicação

O custo precisa ser o último fator a ser avaliado e não deve ser priorizado antes dos aspectos técnicos. 

Além disso, uma aplicação de fungicida deve ser vista como um investimento, e não como despesa.

Qual é o melhor horário para a aplicação do fungicida?

Durante a noite, as condições são melhores. Realizando esse processo nesse turno, as gotas do fungicida conseguem mais tempo para atuar na planta.

As condições climáticas afetam diretamente o comportamento dos resultados.

Essa é uma dúvida bastante recorrente entre agricultores e distribuidores de insumos em relação ao melhor horário para a pulverização de fungicidas.


Especialistas apontam que não se trata de definir um horário, mas sim as condições climáticas ideais para essas aplicações.

Segundo um estudo realizado pela Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), durante o dia, as condições climáticas são adversas para a aplicação.

É importante observar que, no momento da aplicação, a temperatura deve estar abaixo de 30°C, e a velocidade do ar, entre 3 km/h a 10 km/h, com umidade relativa do ar em 55%.

Assim, é necessário buscar momentos que apresentem essas condições favoráveis.

É bom evitar horários com altas temperaturas e baixa umidade, como onze da manhã até cinco da tarde; recomenda-se o uso de termo-higro-anemômetros para fins de maior precisão.

Aplicação noturna do fungicida

É essencial, para o manejo consciente, usar a tecnologia do fungicida da maneira correta e no momento certo, respeitando as propriedades de cada modo de ação. 

A aplicação de fungicida é um processo que requer cuidado, incluindo uma pulverização eficaz.

Esse método é influenciado por componentes climáticos tais como temperatura, umidade relativa, radiação solar, precipitação, velocidade do ar, etc.

Os principais benefícios da pulverização noturna de fungicida:

  1. temperatura estável;
  2. aumento na umidade do ar;
  3. as gotas do fungicida agem por mais tempo;
  4. menor perda por evaporação;
  5. poucos ventos;
  6. mais eficiência no controle de pragas.

Uma técnica muito usada na hora da aplicação noturna, por exemplo, que pode fazer muita diferença e facilitar o trabalho é investir em luz de LED azul.

Qual é a diferença entre herbicida e fungicida?

Os defensivos agrícolas são produtos classificados como químicos, físicos e biológicos.

Esses produtos controlam seres vivos apontados como prejudiciais e nocivos ao ser humano, suas criações e plantações, termo empregado pela legislação brasileira como agrotóxicos.

Os agrotóxicos estão presentes em produtos controladores de pragas (herbicidas), insetos
(inseticidas), fungo (fungicidas), bactérias (bactericidas), ácaros (acaricidas) e ratos (rodenticidas).

Os herbicidas controlam pragas e plantas invasoras que atrapalham o cultivo; já o fungicida controla a proliferação de fungos causadores de doenças.

TerraMagna: invista na proteção da sua lavoura

Neste artigo, você viu a finalidade e os tipos de fungicidas para ajudar na prevenção de fungos em diversos tipos de culturas, melhorando a produtividade do plantio.

O investimento em fungicidas pode definitivamente ajudar muito a fazenda melhorar a lucratividade do negócio.

Se você é distribuidor de insumos e quer melhorar os resultados das fazendas, a TerraMagna pode te ajudar! Nossa tecnologia está revolucionando o mercado.

Concedemos crédito para distribuidores e produtores de forma rápida e fácil e com taxas mais justas – assim, você pode conseguir obter recursos para potencializar os seus resultados.

Ficou com dúvidas? Quer saber mais? Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades