TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Pulverizacao de inseticida em campos de soja

Inseticida: como funciona e quais cuidados precisam ser tomados

Aumento da produtividade e da qualidade é o principal motivo para fazer a aplicação correta dos inseticidas. Entenda como agem e outros pontos de atenção

O uso de inseticida na agricultura é considerado imprescindível para a produção, mas é preciso conhecer seus detalhes para mantê-la adequada. 

Isso porque existem diferentes tipos de inseticidas, assim como diversas maneiras de realizar a aplicação e muitas outras informações que fazem toda a diferença em seu uso. 

O investimento no inseticida correto pode ser o que falta para sua produção render ao máximo e o produto sair com ainda mais qualidade. 

Veja mais sobre como um inseticida funciona e como fazer a escolha certa para a sua produção. 

O que é um inseticida? 

É uma substância utilizada para controlar insetos-pragas em uma produção agrícola, podendo ser química ou biológica. 

O intuito é fazer o controle de insetos que podem prejudicar uma plantação. Conseguem atingir desde ovos até os insetos adultos, por isso são tão eficientes para esse tipo de cuidado com a cultura. 

O uso de inseticida pode ser necessário em todas as fases da plantação, da pré-plantação ao pós-colheita. Isso porque é possível aparecer diferentes tipos de insetos em cada um desses momentos. Os inseticidas pode ser líquidos ou granulados. 

Dentre todos os insumos agrícolas existentes, os inseticidas estão entre os mais comuns e importantes, pois têm ótimo custo-benefício e mantêm a qualidade da produção, algo benéfico na hora da venda dos produtos. 

Assim, esses produtos estão diretamente relacionados com a produtividade de uma colheita (quantidade de produtos advindos da plantação naquele ciclo) e com a qualidade dela.

Pensando nos alimentos de consumo direto – frutas, legumes e vegetais –, o inseticida evita que produtos com resquícios desses insetos sejam descartados pela “má aparência”, causando desperdícios. 

Vale lembrar que mesmo produtos de consumo indireto (como soja e milho) também precisam ter altos graus de qualidade para serem vendidos. Se a plantação tem insetos, a qualidade do produto cai. 

Como o inseticida funciona?

Como vimos, a função principal do inseticida é acabar com os insetos da plantação, mas existem várias maneiras de fazer isso. 

A forma de funcionamento de um inseticida depende do tipo de inseto que se busca combater, do tipo de cultura plantada e do momento em que os ataques à plantação são mais recorrentes (considerando o ciclo de plantio).  

Por isso, é preciso levar esses pontos em consideração para escolher o inseticida mais eficiente e que não prejudique a plantação. 

Um ponto muito importante é a necessidade de utilizar diferentes tipos de inseticidas, fazendo alternância entre eles, para não criar pragas resistentes, o que diminui o efeito do insumo. 

Modos de ação do inseticida

O modo de ação do inseticida é como o ingrediente ativo do produto atuará no organismo do inseto; é a maneira como vai controlar a praga. O ingrediente ativo (I.A.) é a principal molécula do inseticida, o que de fato vai causar o efeito desejado no inseto. 

Cada inseticida é criado considerando o ingrediente ativo, variando de acordo com os hábitos alimentares do inseto-praga em questão e também considerando sua morfologia.

Assim, existem diferentes modos de ação, mas um mesmo inseticida pode servir para mais de um tipo de inseto. 

Os modos de ação possíveis de inseticidas são:

  • contato direto: quando o inseto morre ao ser atingido diretamente pelo inseticida. 
  • contato secundário (residual): o inseticida fica temporariamente na plantação; quando o inseto chega, tem contato residual com a substância e morre.
  • ingestão direta: quando o inseto se alimenta da planta que recebeu o inseticida.
  • repelência: o inseticida afasta os insetos, que saem da plantação por causa das substâncias. 
  • fumigante: o inseticida aplicado solta gases tóxicos aos insetos, levando-os à morte. 
  • atração e envenenamento: o inseticida atrai o inseto até a planta, onde acaba morrendo por fumigamento, contato secundário ou ingestão direta. 

Quais são os principais inseticidas utilizados na agricultura?

Existem diferentes tipos de inseticidas que podem ser utilizados, e muitas composições podem mudar de acordo com o avanço da tecnologia. 

A seguir, conheça os principais tipos utilizados e suas características.

Carbamatos

Têm como elemento-base o ácido carbâmico. O modo de ação promove a paralisação dos nervos dos insetos-praga, causada pela inibição de uma de suas enzimas. 

Dessa forma, é indicado para os insetos que contêm essa enzima em seu organismo. Podem ser utilizados como inseticida, herbicida e fungicida. 

Esse tipo é um dos mais comuns, pois tem baixa ação residual e com baixa toxicidade a longo prazo, apesar de ter uma taxa alta de combate às pragas. 

Piretroides

Têm alta eficiência e, por isso, a quantidade de ingrediente ativo pode ser menor. Assim, tem baixa toxicidade, o que é positivo para os animais, os seres humanos e o meio ambiente como um todo. 

Seu modo de ação também é a paralisação de nervos dos insetos, ao bloquear os canais de sódio do organismo. 

Organofosforados

Derivados do ácido fosfórico, são muito utilizados em plantações com pragas sugadoras, que causam o desfolhamento da plantação e problemas nas raízes, diminuindo bastante a qualidade da produção. 

O modo de ação também é a paralisação do inseto, dessa vez ao inibir a enzima acetilcolinesterase. Também têm baixa toxicidade, pois são biodegradáveis e não contaminam o solo (seus resquícios somem totalmente depois de três meses). 

Reguladores de crescimento

Esse tipo de inseticida tem ação diferente da dos citados anteriormente. O objetivo dele é regular o crescimento dos insetos para que não causem problemas à plantação depois de maturados. 

Inibem a troca de ecdise do inseto (exoesqueleto) e dificultam a produção de quitina (substância que compõe o exoesqueleto). Por agirem apenas nos insetos, são muito seguros para mamíferos e para o homem. 

Contudo, é preciso saber exatamente em que momento ele deve ser utilizado, para que se tenha o resultado esperado de fato. 

Inibidores da respiração celular

Como o nome sugere, esse inseticida atua nas mitocôndrias dos insetos, dificultando sua cadeia energética. Podem ser utilizados contra diferentes tipos de insetos e em diferentes fases. 

Possuem alta eficiência, mas sua ação é mais lenta que a dos outros. Também têm toxicidade controlada, não causando riscos. 

Bioinseticidas – Bacillus thuringiensis

Os bioinseticidas são uma forma natural de eliminar os insetos-pragas inserindo outro organismo que os combata naturalmente. Um dos principais usos é com a bactéria Bacillus thuringiensis (Bt), que atua no sistema digestivo do inseto. 

É uma das formas mais seguras, pois não prejudica o ambiente nem os animais. Também tem baixo risco de seleção de insetos resistentes. 

O uso de inseticida e sua aplicação

O uso de inseticida na lavoura deve ser feito com cautela e utilizando o produto correto de acordo com a cultura plantada, os insetos-praga e os modos de ação. 

Essa escolha precisa ser feita com cuidado, geralmente por algum profissional especializado em combate às pragas. 

A aplicação também precisa ser feita com base nas regras de Boas Práticas Agronômicas e nas indicações do Manejo Integrado de Pragas (MIP). Por meio do monitoramento, é possível indicar o momento certo da aplicação. 

Cada tipo de plantação tem uma lista de inseticidas registrados e autorizados, lembrando que um mesmo produto pode servir para diferentes culturas e insetos-praga. 

Aplicação

Existem, também, diferentes tipos de aplicação, e a indicação varia de acordo com o tipo (líquido ou granulado), o espaço de aplicação e o tipo de cultura. 

É possível aplicar “manualmente” utilizando o pulverizador. Nesse caso, como exige a presença de uma pessoa, ela precisa estar com o Equipamento de Proteção Individual (EPI) completo. 

Também é possível aplicar com máquinas agrícolas e, em alguns casos, com aviões agrícolas, em grandes espaços de plantação. 

Ademais, deve-se planejar o momento da aplicação considerando a etapa do ciclo e as condições climáticas. Vento, chuvas, altas ou baixas temperaturas e plantas “estressadas” (que passaram por intempéries há pouco tempo) colocam a eficiência do inseticida em risco. 

Problemas do uso indevido

Seguir as recomendações de aplicação e manuseio é imprescindível para que o uso de inseticida não prejudique a qualidade do produto, o solo da plantação, o meio ambiente e o consumidor final. 

Fazer a aplicação correta diminui os impactos na natureza e evita alterações no solo, que, inclusive, podem ser prejudiciais para o próximo ciclo de plantio. 

Dessa forma, é preciso atenção. Nem sempre uma grande quantidade de inseticida significa mais eficiência no combate aos insetos, assim como nem sempre a aplicação por aviões é mais eficiente que aquela feita próximo da lavoura.  

São muitos detalhes que merecem atenção para que o uso realmente tenha um bom
custo-benefício. Por isso, muitos preferem contratar os serviços de uma pessoa especializada em combate às pragas. 

Inseticida e sua influência na produção

Ao combater os insetos-praga, o uso de inseticida aumenta a produtividade da plantação, pois garante melhores qualidade e quantidade da colheita. 

Feitas a aplicação e a escolha correta do inseticida, é possível reduzir muito o custo de produção ao evitar os prejuízos financeiros que surgem com o descarte de colheita ou a baixa procura dos produtos. 

Assim, o produtor consegue melhorar ainda mais seu lucro a partir de cuidados simples. Por isso mesmo, o inseticida é considerado um insumo imprescindível e de ótimo
custo-benefício. 

Usar a quantidade correta e o produto certo é o mais importante, pois, quando isso está errado, o produtor acaba perdendo dinheiro. 

O uso indiscriminado pode trazer prejuízos financeiros ao agricultor, com desperdício de produto, de tempo e de dinheiro.

Isso sem falar na criação de resistência dos insetos ao produto. Logo, a longo prazo, traz mais problemas do que soluções. 

Como cada cultura é única e está em um local específico, o trabalho de um engenheiro agrônomo específico para tratamento de pragas é o mais indicado. 

O investimento em inseticidas corretos é considerado um ótimo custo-benefício, bem como a contratação de uma pessoa especializada em controle de pragas. 

Nesse sentido, pode ser interessante utilizar o crédito agrícola para fazer todo o processo do uso de inseticida da melhor maneira, pois o retorno financeiro é muito positivo.

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades