TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Imagem de uma floresta ao por do sol, mostrando um latossolo extenso

Latossolo: entenda tudo sobre o solo mais comum do país

O latossolo é o solo mais comum no país (cerca de 39% da área total) e possui atributos específicos que merecem atenção. Conhecer as características do solo é algo imprescindível no agronegócio, pois é a partir dele que se definem as estratégias para aumentar a produtividade e conseguir mais resultados. 

Pela grande área territorial do Brasil, o latossolo apresenta diferenças dependendo da região. Ou seja, cada local pode ter um tipo de latossolo específico e, por isso, é preciso entender ao certo qual é a característica da região e traçar melhorias a partir disso. 

Por ser o mais comum, é também o que mais conta com pesquisa, tecnologia e produtos para contribuir com sua melhoria. Acompanhe, a seguir, mais informações sobre o latossolo. 

O que é latossolo

Latossolo é o nome dado a um dos tipos de solo existentes. É a principal classe de solos no Brasil, ou seja, o território tem predominância desse tipo de “terra”. Portanto, a maior parte dos terrenos agrícolas do país se caracteriza por ter esse tipo de solo. 

A composição do solo hoje é resultado de toda a história do planeta, considerando o desenvolvimento de flora, fauna, temperaturas, áreas alagadas e muitos outros pontos. 

Ou seja, o latossolo é consequência do que aconteceu na região milhões de anos atrás e, por isso, tem uma composição específica e praticamente única, considerando as características locais. 

É por isso que não existe apenas um tipo de latossolo (como veremos mais à frente), já que também há diferenças de região para região.

Além disso, é importante considerar que dificilmente uma região conta com apenas um tipo de solo, tendo em vista que as mudanças químicas da terra já alteram suas características. Mesmo assim, o latossolo é o predominante. 

Entender as características do latossolo é essencial para conseguir tirar melhor proveito da região em que está sendo cultivado algo, pois isso faz toda a diferença para a produção agrícola e o agronegócio como um todo

As características do latossolo

O latossolo tem características bem marcantes quanto à sua composição e aparência. Ele é formado graças ao processo de latolização (daí o nome de latossolo), quando ocorre a retirada de sílica e das bases do perfil (Ca2+, Mg2+, K+, entre outras).

 As principais características são: 

  • são solos minerais, ou seja, formados por diferentes minérios; 
  • são homogêneos, com a mesma cor e aparência tanto horizontalmente quanto na profundidade;
  • são considerados profundos, ou seja, as pedras não ficam tanto na superfície, dando mais espaço para raízes (cerca de 2 metros);
  • são bem drenados, de modo que a água consegue passar facilmente por eles; 
  • têm textura argilosa (textura média ou fina);
  • geralmente são pouco férteis, pois os minerais presentes não contribuem tanto para a fertilidade do local. 

Existem sete classes diferentes de latossolo, de acordo com suas características minerais, considerando teor de óxido de ferro (Fe2O3), relação sílica (Ki(SiO2/Al2O3)) e pela cor. 

Porém, na prática, são considerados apenas três tipos, pois algumas classes possuem características bem semelhantes, podendo ser trabalhadas da mesma maneira. 

Os três tipos principais de latossolo

Os tipos de latossolo diferem pelas suas características químicas, mas também é possível observar diferenças sutis em suas aparências, sendo esse fator o mais utilizado para entender o tipo de solo. 

  1. Latossolo vermelho de textura argilosa ou muito argilosa

Tem maior quantidade de ferro, com reserva moderada de macro e micronutrientes para fertilidade, sendo mecanicamente estáveis.

Como o nome sugere, tem tonalidade avermelhada, a chamada “terra vermelha”, exatamente em razão dos minerais presentes. 

Assim, é considerado um solo que consegue manter sua produtividade ao longo do tempo, mas precisa de manutenção para preservar suas características químicas e físicas. 

É um solo encontrado principalmente no estado de São Paulo, nas porções sudoeste, nordeste e centro-oeste do estado. 

  1. Latossolo vermelho-amarelo de textura argilosa

O latossolo vermelho-amarelo de textura argilosa também é chamado apenas de “amarelo”, pois tem baixa tonalidade de vermelho, apesar de ser possível notar um fundo avermelhado. 

É um solo com permeabilidade e retenção de água moderadas, sendo considerado ideal para plantações de baixa estatura. Além disso, sua vegetação é natural (de cerrado e, em algumas partes, florestas). 

Por causa disso, também é um solo que precisa de mais recursos tecnológicos e de manutenção, pois necessita de correções químicas para aumentar sua produtividade

Está presente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, sendo bastante indicado para plantação de cana, soja e outras culturas de consumo indireto. 

  1. Latossolo vermelho-amarelo de textura média 

Com cor alaranjada, tem características tanto do solo avermelhado quanto do amarelado, por isso o nome faz referência aos dois. 

É um solo com alta permeabilidade, embora retenha pouca água, o que pode ser um desafio para o agronegócio, já que pode ter maior estresse hídrico em períodos de secas ou de muita chuva. 

Considerado mais sensível, com acidez elevada e baixa retenção de minérios, o que faz com que seja necessária maior atenção na manutenção e na fertilização.  

É muito comum em praticamente todas as regiões do país nas quais há mercado agrícola, no Centro-Oeste e no Sudeste.  

O latossolo é bom para o mercado agrícola?

O latossolo, como vimos, não é considerado um solo fértil, apesar de ter combinações de minérios que podem, sim, ser benéficas para as culturas. 

Além disso, o latossolo também é de fácil manutenção e adaptação, se comparado com outros solos pelo mundo. 

Mesmo necessitando de atenção específica, hoje em dia existem muitas pesquisas, estudos e tecnologias que visam a contribuir para a fertilidade do latossolo brasileiro. 

Portanto, o solo é considerado bom para o mercado agrícola, de maneira geral, pois é possível tratar sua acidez e falta de fertilidade de outras maneiras, com boa aceitação por parte da terra. 

Outro ponto é que o próprio clima brasileiro colabora com o mercado agrícola, pois possibilita a produção de uma grande diversidade de produtos e de commodities de forma mais fácil. 

Ou seja, mesmo o latossolo sendo um tipo mais sensível de solo, as culturas conseguem se desenvolver por não passarem por tantas intempéries, por exemplo. 

O que é preciso fazer para aproveitar mais o latossolo? 

Para aproveitar ao máximo o local de produção com latossolo, é preciso usar técnicas que melhorem a qualidade do solo e o tornem mais fértil para as culturas. 

Cada cultura, claro, precisa de um tipo de cuidado, já que os compostos químicos fazem toda a diferença nesse sentido. 

Porém, antes de qualquer plantação, é preciso preparar o solo e, sendo o latossolo pobre em alguns nutrientes, é necessário tomar alguns cuidados para que se torne mais fértil. 

Acidez 

É uma das características do latossolo que acaba prejudicando o crescimento das plantas. Por isso, é preciso corrigi-lo a fim de obter maior produtividade agrícola. 

Para isso, geralmente é feita a aplicação de calcário (cal agrícola) em todo o solo, mexendo a terra para que a região das raízes fique em contato com bons nutrientes. 

Baixa fertilidade

A baixa fertilidade do solo já foi um problema no mercado agrícola brasileiro, pois diminuía muito a capacidade produtiva das plantações. 

Porém, com a tecnologia e o surgimento de fertilizantes cada vez mais específicos, é possível driblar essa dificuldade e tornar o latossolo tão fértil quanto qualquer outro. 

Baixa capacidade de retenção de cátions 

Cátions são íons com carga positiva advindos dos minerais da terra. Pela concentração e interação de minérios no latossolo, há uma dificuldade em manter os íons positivos, o que atrapalha a fertilidade. 

O que é feito atualmente é promover o sistema de plantio direto, quando o plantio é feito sobre a matéria orgânica da antiga plantação, sem revolver o solo. 

Assim, a quantidade de íons positivos aumenta na superfície, contribuindo para o crescimento da plantação, principalmente em seus primeiros dias.

Baixa capacidade de reter água

A irrigação constante também é um fator que pode fazer muita diferença no latossolo, dependendo também da cultura. 

Nesse caso, o intuito é que a plantação não seja afetada pela estiagem, por exemplo, mantendo a produtividade durante todo o ano. 

Por que investir no tratamento do latossolo

Ainda que o latossolo tenha sua fertilidade, ela não é capaz de manter os níveis de retorno financeiro por muito tempo, pois exige manutenção constante, isso sem contar os custos da própria produção. 

Por isso, todo agricultor precisa investir pelo menos um pouco em seu solo para ter a produtividade esperada e conseguir se desenvolver.

Nesse caso, é necessário ter atenção em pontos como tipo de latossolo, sua acidez, seu potencial fértil e outros tópicos, que precisam ser analisados por um profissional. 

Depois, é preciso avaliar quais investimentos e insumos agrícolas serão necessários para trabalhar no solo, e é nesse momento que um crédito agrícola pode ajudar. 

Isso porque muitos dos investimentos podem ir além da capacidade financeira atual, porém trazem muito retorno financeiro e valem a pena a longo prazo. 

Sabemos que todos esses processos custam muito, por isso o crédito pode ser uma boa saída para continuar produzindo cada vez mais. 

Se quer saber se o crédito agrícola é o ideal para você cuidar do seu latossolo e aumentar sua produtividade, converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades