TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Becker fumegante de nitrogênio líquido

Nitrogênio: aumente a produtividade e melhore os resultados agrícolas

Aumentar a saúde de suas colheitas pode ser complicado, especialmente se você não tiver certeza de que nutrientes elas precisam. Um nutriente essencial para as plantas é o nitrogênio (N).

Não é segredo que plantas saudáveis levam as colheitas a produções maiores e melhores.

Os níveis de nitrogênio no solo são frequentemente baixos, e as plantas podem não ser capazes de absorver esse nutriente.

Como resultado, a produção agrícola sofre de deficiências de nitrogênio.

Felizmente, há muitas maneiras de aumentar os níveis de nitrogênio de suas plantas e alcançar melhores resultados agrícolas. Continue lendo para saber mais!

Um método comum é usar bactérias fixadoras de nitrogênio, que convertem o gás nitrogênio em uma forma que as plantas podem utilizar.

Outra opção é adicionar fertilizante ao solo, que pode fornecer às plantas o nitrogênio necessário para que elas cresçam.

Com um manejo adequado, o nitrogênio pode ser um nutriente-chave para uma agricultura de sucesso.

Antes de falarmos mais sobre isso, vamos entender melhor a sua origem.

O nitrogênio e sua origem

O nitrogênio foi descoberto por Daniel Rutherford, em 1772, sendo classificado como um gás nocivo à vida.

Em sua tese de faculdade, em Edimburgo, o nitrogênio foi descrito dessa forma, já que não era capaz de manter a vida.

O elemento também havia sido definido como gás por vários outros gênios, como Leonardo da Vinci, Lavoisier, Mao-Khoa, Henry Cavendish, W. Scheele e Joseph Priestley.

Nitrogênio: o que é?

O nitrogênio está ligado à função estrutural de algumas moléculas.

Ele faz parte de substâncias de extrema importância para o funcionamento das plantas.

Quais substâncias são essas?

  • Clorofila: uma substância que se origina do processo da fotossíntese, que pega a energia solar e a transforma em energia química, o que vai desencadear diversos fatores importantes para o crescimento das plantas.
  • Aminoácidos: como você bem sabe, são partículas que criam as estruturas de proteínas; sem eles, não seria possível que as plantas completassem o seu ciclo de vida.
  • Ácidos nucleicos (DNA e RNA): assim como os aminoácidos, eles são compostos de nitrogênio, cujas funções vão desde o melhoramento de produtividade até a relação com estruturas morfológicas, entre outras.

O nitrogênio de forma estrutural é muito importante para as principais moléculas e substâncias encontradas dentro das plantas.

Com isso, sabemos, então, que ele é um nutriente indispensável para as plantas.

Mas como será o ciclo dele no solo?

O ciclo do nitrogênio

Depois de você conhecer a importância do nitrogênio para as plantas, é fundamental entender como ele chega até o solo, como ele vai se movimentar e quais são as características desse nutriente no solo.

Bom, se você já se deparou com alguma análise de solo, você sabe muito bem que o nitrogênio não aparece na pesquisa.

Mas será que não é possível metrificar a quantidade de nitrogênio existente no solo?

Na verdade, não é isso. Hoje em dia, já há tecnologias que possibilitam essa verificação, mas elas são mais utilizadas em estudos científicos.

Como o nitrogênio chega ao solo?

A movimentação do nitrogênio no solo é muito rápida. Veja bem: o nitrogênio pode chegar ao solo de diversas maneiras; as principais são chuva, decomposição, fixação e adubação mineral.

1 – Chuvas e tempestades: no geral, são capazes de colocar até 50 kg de nitrogênio no solo, porém não é uma quantidade sobre a qual temos controle, não sendo possível dizer ao certo; vai depender de diversos fatores, como a condição climática.

2 – Decomposição da matéria orgânica: em alguns casos, feita a adubação orgânica de forma correta, é possível colocar até 40 kg de nitrogênio por hectares.

3 – Fixação de nitrogênio: a forma mais comum pela qual o nitrogênio chega ao solo é a fixação biológica, que encontramos nas leguminosas, pelas bactérias.

Por fim, uma outra maneira é a adubação mineral, assunto que vamos abordar ainda neste artigo; leia até o final e confira.

Independentemente da forma como o nitrogênio chegou ao solo, o que importa mesmo é o planejamento estratégico para levá-lo até lá.

Um ponto importante é que as plantas absorvem o nitrogênio principalmente de duas formas: por meio do amônio (NH₄⁺) e do nitrato.

O processo de transformação de amônio para nitrato é muito rápido, durando semanas.

Além disso, todo nitrato que não for absorvido pelas plantas tende a ser lixiviado.

Então, começa a descer para as camadas em que há pouco oxigênio, onde as bactérias tendem a realizar esse trabalho de transformação.

Depois, acontece o processo inverso, a desnitrificação; quando isso acontece, o nitrato sai da sua forma mineral e se transforma em óxido nitroso, voltando à atmosfera.

Aqui vai um ponto muito importante ao qual você precisa ficar atento.

O controle da adubação precisa ser realizado da forma correta, pois o óxido nitroso pode ser muito prejudicial para a camada de ozônio, em razão de ser até 200% mais tóxico do que o próprio gás carbônico.

Adubos nitrogenados e suas características

Agora é a hora de escolher: qual é o adubo correto?

Hoje em dia, existem diversas opções no Brasil, mas, neste artigo, separamos os principais do mercado e descrevemos suas características.

Ureia

Não dá para começar diferente. A ureia, sem sombra de dúvidas, no Brasil, é o adubo nitrogenado mais utilizado.

Isso ocorre em virtude do seu preço, que tem um custo menor para produção, da sua eficiência de rápida liberação no solo e por ser muito solúvel.

De forma geral, ela contém, em sua composição, em média 20% a 40% de nitrogênio, o fertilizante com maior nível de concentração.

Nitrato de amônio

É também um adubo nitrogenado muito utilizado no Brasil. Um forte oxidante, que tem uma reação mais fácil com outras substâncias.

Entretanto, por ser utilizado em explosivos, existem um desafio e uma burocracia maiores para adquiri-lo e armazená-lo.

Sulfato de amônio

Uma alternativa interessante em processos de adubação é que sua cultura tenha uma demanda de enxofre maior. Contudo, se for só para a questão do nitrogênio, não é satisfatório.

Existem, também, outros tipos de nitrato, como o de sódio, cálcio e potássio.

Mas, no geral, não tendem a ser compensatórios, pois conseguem ter apenas 16% de nitrogênio, de modo que não são tão viáveis.

Qual é o papel do nitrogênio na agricultura?

O nitrogênio é importante para o desenvolvimento das plantas, pois ajuda na síntese de proteínas e clorofila.

Embora seja encontrado em pequenas quantidades nos solos brasileiros, o magnésio é um fator limitante para a agricultura em alguns casos, devido a fatores como lixiviação, erosão e volatilização.

Para garantir um bom desenvolvimento das plantas, é necessário fertilizar corretamente.

Os fertilizantes sintéticos contêm o elemento químico que ajuda a melhorar a produção e permite o desenvolvimento de monoculturas.

Quais são as principais vantagens de sua utilização na lavoura?

Segundo a Embrapa, o Brasil importa quase 24,96 milhões de toneladas de fertilizantes (nitrogênio) e alimenta 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo. Em 2020, o Brasil consumiu 7,5 milhões de toneladas de ureia, sendo 88% em fertilizante.

A rentabilidade do negócio é sempre um grande desafio, já que grande parte dessas soluções são de fora. Ao utilizar os recursos de nitrogênio, é possível ter um crescimento de até 50% na produtividade da cultura.

Entretanto, os benefícios do uso de nitrogênio líquido na agricultura variam, tendo em vista que os processos de adubação sofrem perdas por causa da chuva.

A forma líquida de um nutriente também ajuda no processo, pois tem uma composição que facilita a sua aderência às folhas.

A liberação é gradual e acontece durante um período de tempo mais longo. Todavia, a absorção é praticamente imediata.

As plantas aproveitam pouco os fertilizantes nitrogenados que recebem, raramente ultrapassando 50%. Isso significa que, ao serem aplicados 100 kg de N, pelo menos 50 kg são perdidos por diferentes processos que ocorrem no solo.

Como utilizar adubação nitrogenada da melhor maneira

Afinal, como utilizar o adubo da forma correta? Por que isso é importante?

Cada solo vai agir de forma diferente dependendo dos adubos. Então, as primeiras coisas a avaliar são:

  • Histórico da área: verificar se já há matéria orgânica disponível, o que já foi utilizado, assim como falamos anteriormente.
  • Análise de tempo: qual foi o tempo meteorológico durante todo esse período? Pelo menos no último ano, houve muita chuva ou pouca?

Se houver muita chuva, em tese, pode ser que alguma quantidade de nitrogênio já tenha sido disponibilizada.

  • Adubação verde: a adubação verde também serve de nitrogênio.

Com isso, você consegue ter uma noção da quantidade de nitrogênio disponível.

Como evitar as perdas

Depois disso tudo, é importante evitar as perdas por volatilização e lixiviação e diminuir ao máximo o nível de contaminação; na verdade, se possível, o melhor é não haver nenhum tipo de contaminação.

Seguem, aqui, alguns cuidados para evitar esses contratempos:

1º: Incorporação da ureia no solo

(Segundo, algumas pesquisa, não há necessidade dessa prática.)

2º: Manter o solo úmido após aplicação

Depois que você fizer a aplicação da ureia, se o solo ficar dois dias, por exemplo, sem umidade, com sol intenso, pode existir perda de até 50% por volatilização.

3º: Parcelamento

É muito importante parcelar a adubação nitrogenada; como já mencionamos anteriormente, o movimento do nitrogênio no solo faz com que a sua disponibilidade seja muito rápida.

Quando ele chega à fase de se transformar em nitrato, o que não for absorvido será lixiviado.

Então, quanto mais você parcelar, melhor será para manter um bom aproveitamento no solo.

4º: Não encharcar o solo

Outro ponto é, se você não estiver utilizando a ureia e está usando o nitrato de amônio, por exemplo, evite encharcar o solo.

Caso haja o encharcamento deste, grandes perdas podem ser geradas.

TerraMagna: a sua solução no campo

Bom, se você chegou até aqui é porque esse conteúdo faz sentido de alguma maneira.

Então não perca tempo! Garanta agora os fertilizantes para a safra 2022/23.

Com a TerraMagna, você consegue os recursos necessários para comprar imediatamente e negociar os melhores preços.

Quero te convidar para compartilhar este artigo com mais pessoas, para que a gente possa ajudar a melhorar o nível técnico da agricultura brasileira.

Leia também: O que é ureia? Uma explosão de nutrientes para as plantações.

Ficou com alguma dúvida? Aproveite e converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades