TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
As formigas vermelhas estão procurando comida nos galhos verdes representando os tipos de formigas

Tipos de formigas: saiba quais espécies impactam as lavouras

Por que é importante conhecer os tipos de formigas que estão presentes nas cidades e nos campos? 

Por sua habilidade de organização e por formar colônias complexas, as formigas sempre despertaram a curiosidade do homem.

No entanto, para além da simples curiosidade, entender sobre as formigas e seus hábitos é muito relevante no contexto da agricultura.

Isso porque esses seres interferem diretamente no sucesso ou no fracasso da produção agrícola. 

Elas tanto podem causar danos às lavouras quanto, pelo contrário, atuar como predadoras naturais de pragas e promover a fertilidade do solo.  

Para saber mais sobre esse importante inseto, continue a leitura a seguir. 

Conhecendo alguns dos principais tipos de formigas presentes no Brasil

Estima-se que o Brasil possua mais de 13.000 espécies de formigas. O país detém uma rica mirmecofauna, e acredita-se que novas espécies ainda estão por ser descobertas. 

As formigas são seres eussociais, que se caracterizam pelos seguintes comportamentos:

  • Divisão de tarefas: as castas reprodutivas encarregam-se da postura dos ovos, e as castas estéreis realizam as demais tarefas da colônia. 
  • Sobreposição de gerações: indivíduos mais velhos convivem com indivíduos mais novos. 
  • Cuidado cooperativo com a prole: indivíduos adultos trabalham em conjunto para criar a próxima geração. 

Em geral, as colônias de formigas têm início com a fecundação de uma rainha após o voo nupcial. Essa rainha procura um local adequado para iniciar um novo ninho. 

Em seguida, a rainha fará a postura dos ovos e, a depender da espécie, pode usar sua reserva energética para nutrir as primeiras larvas ou forragear para alimentá-las. 

Quando os primeiros indivíduos se tornam adultos, eles são responsáveis pelas tarefas de buscar alimento, limpar a colônia, cuidar da prole e defender o ninho de ataques.

A rainha especializa-se na postura de ovos, além de controlar a colônia por meio de feromônios. 

Em seguida, há um período de crescimento da colônia, com produção de operárias estéreis. Em certos tipos de formigas, esse período pode levar meses e, em outros, pode durar anos. 

Após essa etapa, a colônia entra em fase reprodutiva e haverá a produção de indivíduos sexuados, que, por sua vez, formarão novos formigueiros. 

Apresentamos, a seguir, alguns dos principais tipos de formigas presentes em nosso país, de acordo com seus gêneros.

Gênero Solenopsis 

O gênero Solenopsis inclui 192 espécies e pode ocorrer em florestas, campos e no meio urbano, estando presente em residências e hospitais. 

Seus ninhos podem abrigar milhares de indivíduos. Algumas das espécies são polimorfas, ou seja, apresentam variação de tamanho.

A colônia das formigas do gênero Solenopsis pode ser fundada por apenas uma ou várias rainhas. Geralmente, há a prevalência de uma única rainha e perecimento das demais. 

O grupo Geminata possui um porte maior e é popularmente conhecido como
formiga-lava-pés

Formigas desse grupo são conhecidas por serem agressivas e por possuir uma ferroada dolorosa devido à presença de alcaloides e proteínas alergênicas em seu veneno. 

A espécie Solenopsis invicta tem sido vista com preocupação por seu caráter invasor, provocando grandes infestações.

Gênero Camponotus

É considerado como o maior gênero de formigas, contando com mais de mil espécies. Na região Neotropical, são registradas cerca de 300 espécies. 

Em geral, as espécies desse tipo de formiga são dimórficas ou polimórficas. Seus ninhos podem ser encontrados no solo ou em árvores. 

Esse tipo de formiga pode provocar danos em criações de abelhas, além de causar prejuízos em residências ao estabelecer seus ninhos em aparelhos eletrônicos.  

Gênero Tapinoma

O gênero Tapinoma conta com 71 espécies, das quais ao menos cinco estão presentes no Brasil. Acredita-se que esse tipo de formiga ocorra em todo o território nacional. 

O ninho desse tipo de formiga contém cerca de 100 indivíduos e é ramificado em satélites. Pode ser feito no solo, em árvores ou em troncos em decomposição. 

A espécie Tapinoma melanocephalum é conhecida como formiga-fantasma e é considerada uma praga em casas e hospitais, sendo muito frequente nos centros urbanos. 

Gênero Monomorium

Esse gênero possui 396 espécies e está presente na maior parte do território brasileiro. As espécies mais frequentes no Brasil são a Monomorium pharaonis e a Monomorium floricola

Estão presentes no meio urbano, em casas e hospitais, mas podem ser encontradas nos mais diversos ambientes. 

Seus ninhos podem ser feitos no solo, embaixo de pedras, buracos ou galhos. A colônia pode ter um grande número de rainhas simultaneamente. 

A espécie Monomorium pharaonis é conhecida como formiga-faraó e representa uma preocupação em hospitais por ser vetor mecânico de bactérias. 

Gênero Wasmannia

O gênero Wasmannia possui dez espécies, das quais oito estão presentes no país, com ocorrência em todos os estados brasileiros. 

Costumam habitar florestas, com exceção da espécie Wasmannia auropunctata, conhecida como formiga-de-fogo ou pixixica, que se adaptou a ambientes perturbados. 

Essa espécie é considerada competidora e é conhecida por eliminar formigas nativas. Seus ninhos podem ser construídos sob pedras, madeira podre, folhas na serapilheira, etc. 

A espécie está entre os tipos de formigas que podem ser consideradas uma praga agrícola.

Isso acontece porque a Wasmannia auropunctata dificulta o trabalho em plantações ao ferroar os agricultores. Sua ferroada é bastante desconfortável, causando ardência. 

Gênero Paratrechina

Esse gênero possui cinco espécies no total, mas apenas uma está presente no Brasil.
Trata-se da Paratrechina longicornis, conhecida como formiga-louca

O gênero está entre os tipos de formigas que são tidas como praga em todo o mundo. Elas ocorrem em ambientes naturais, ambientes perturbados e áreas urbanas. 

Podem formar seus ninhos no solo, madeira podre e partes internas de paredes. Esses ninhos podem conter 40 rainhas e até 2.000 operárias. 

Suas colônias são temporárias e podem ser movidas quando o ninho é perturbado.  

Gênero Linepithema 

Esse gênero conta com vinte espécies, dentre as quais onze estão presentes no Brasil. Acredita-se que esse tipo de formiga ocorra em todos os estados brasileiros.

A maioria das espécies habita regiões florestais, mas algumas delas estão presentes em áreas perturbadas. 

Podem se alimentar do honeydew de hemípteros, substância açucarada, além de poderem atuar como predadoras ocasionais. 

O honeydew é uma substância rica em açúcares liberada por insetos sugadores, como percevejos, cigarras, pulgões e cochonilhas.

A espécie Linepithema humile, conhecida como formiga-argentina, destaca-se por atuar como espécie invasora em diversos países, causando danos à fauna local de invertebrados. 

Gênero Pheidole

Trata-se de um gênero disperso mundialmente que conta com 1.004 espécies. Na região Neotropical, a ocorrência é de 627 espécies.

A maior parte das espécies do gênero Pheidole são dimórficas, sendo divididas em operárias menores e maiores. As maiores atuam como soldados. 

Podem formar seus ninhos no solo, madeira podre, árvores, embaixo de pedras, folhas na serapilheira, etc. 

Além disso, atuam na dispersão de sementes e no controle da população de outros artrópodes. 

Gênero Crematogaster

Esse gênero conta com 486 espécies no mundo. Na região Neotropical, há 60 espécies, muitas delas presentes em todos os estados do Brasil.

A maior parte das espécies habita em árvores, mas seus ninhos também podem ser feitos no solo, madeira podre, folhas na serapilheira, ninhos abandonados por cupins, etc. 

Alimentam-se do honeydew de hemípteros, nectários extraflorais e podem ser predadoras eficientes. Grande parte das espécies são consideradas agressivas e territoriais.

Os ninhos desse tipo de formiga podem ser mistos, inclusive com a convivência de rainhas de espécies diferentes.  

A espécie Crematogaster spp. é conhecida como formiga acrobática e recebe esse nome por levantar o gáster sobre o mesossoma quando ameaçada. 

Tipos de formigas que comprometem as lavouras 

Os tipos de formigas que mais trazem danos às lavouras são as chamadas
formigas-cortadeiras, denominação da qual fazem parte as saúvas e as quenquéns

Saiba mais sobre essas formigas a seguir. 

Gênero Atta 

As formigas-cortadeiras são conhecidas dessa forma por cortarem folhas e outras partes de plantas para levá-las ao interior do formigueiro.

No entanto, essas folhas não são seu alimento. Esses tipos de formigas vivem em uma relação mutualista com um fungo, sendo este sua verdadeira fonte de nutrição.

As operárias chamadas de cortadeiras ou carregadeiras realizam a forragem, trazendo o material vegetal para o ninho e armazenando-o numa câmara destinada para esse fim. 

As jardineiras são responsáveis por fragmentar esse material e fazer sua disposição ao longo do jardim de fungos com a finalidade de nutri-lo. 

As lixeiras são responsáveis por manter a limpeza do ninho, levando para a câmara do lixo conteúdos como fungo consumido, folhas secas, além de larvas e formigas mortas. 

Existe também o grupo das soldadas, que realiza a proteção da colônia contra ataques. Por último, há as enfermeiras, que cuidam de ovos, larvas e pupas. 

Cada sauveiro conta com apenas uma rainha, que é responsável pela postura dos ovos. O trabalho da colônia é realizado por operárias estéreis. 

No entanto, a colônia também produz formas sexuadas, que são as içás e os bitus. Esses indivíduos realizam voos nupciais durante os meses de outubro a dezembro.

Os bitus morrem logo após o acasalamento, enquanto as içás irão fundar as novas colônias.  

Uma única colônia de Atta pode chegar a abrigar até sete milhões de indivíduos. Portanto, a atividade de corte de plantas necessária para manutenção do ninho é muito intensa.

Por esse motivo, a saúva é considerada uma das maiores pragas agrícolas. 

De acordo com a Embrapa, são necessárias cerca de 86 árvores de eucalipto ou 161 árvores de pinus para abastecer um sauveiro.  

Segundo a instituição, foi observado na Venezuela que as desfolhas causadas por formigas do gênero Atta em plantios de pinus podem reduzir a produtividade de madeira em 50%

Gênero Acromyrmex

O gênero conta com 32 espécies, das quais 24 estão presentes no Brasil. São conhecidas como quenquéns e são predominantes na região Sul do país. 

Elas se diferenciam das formigas do gênero Atta porque possuem quatro pares de espinhos ou mais na região dorsal do mesossoma, enquanto as saúvas possuem apenas três.  

Além disso, são de porte menor e seus ninhos têm uma dimensão reduzida em comparação com o sauveiro, o que dificulta sua localização para a realização de controle. 

Algumas espécies são conhecidas por causarem danos em pastagens, levando a prejuízos como redução da capacidade de pastos e infestação de ervas daninhas

Também podem causar danos em culturas de cana-de-açúcar e eucalipto, além de atacarem jardins ornamentais e áreas de reflorestamento. 

Outros danos causados pelas formigas aos cultivos agrícolas 

Determinados tipos de formigas podem associar-se a insetos sugadores de seiva, realizando a sua proteção em troca do honeydew, substância açucarada que é produzida por esses insetos. 

Essa associação pode ser problemática ao causar o aumento da incidência de insetos sugadores nos cultivos agrícolas. 

Outra questão que pode dificultar o trabalho nas lavouras são as ferroadas sofridas por agricultores que manipulam as plantações.

As espécies Solenopsis spp. (formiga-lava-pés) e Wasmannia auropunctata (formiga-de-fogo, ou pixixica) são citadas como causadoras desse problema.  

Como controlar os principais tipos de formigas que afetam a agricultura? 

O controle de formigas-cortadeiras pode ser feito por método mecânico, cultural ou químico. 

No método mecânico, é realizada uma escavação da colônia para a remoção da rainha. Esse método funciona para formigueiros jovens, com poucos centímetros de profundidade. 

O método cultural é feito pelo plantio de vegetais que possuem propriedades tóxicas para as formigas-cortadeiras ou funcionam como seus repelentes. 

Já no método químico, considerado o mais eficiente para combater esse tipo de formiga, é feita a aplicação de defensivos agrícolas. 

De acordo com a Revista Pesquisa Fapesp, os custos anuais com a aplicação de formicidas químicos atingem cerca de 100 milhões de dólares

Os tipos de defensivos que podem ser utilizados para combater as formigas cortadeiras são as iscas granuladas, o pó seco e os líquidos termonebulizáveis.  

As iscas granuladas são o principal produto utilizado, correspondendo a 70% do mercado. 

Que tipos de formigas atuam no controle de pragas? 

Além de serem um alvo do manejo de pragas, as formigas também podem funcionar como aliadas da agricultura ao atuarem na realização do controle biológico de pragas.

Isso porque certos tipos de formigas atuam como predadoras de insetos que são pragas de culturas agrícolas. 

A utilização de formigas predadoras pode ser útil para reduzir o uso de defensivos, o que representa uma economia de recursos e gera maior sustentabilidade. 

Alguns dos gêneros de formigas citados como úteis para essa finalidade são:

  • Ectatomma;
  • Gnamptogenys;
  • Labidus;
  • Neivamyrmex;
  • Neoponera;
  • Odontomachus;
  • Pachycondyla.

Por que a existência de uma variedade tipos de formigas é positiva para o ecossistema?

A presença de uma mirmecofauna diversa é considerada um indicativo do equilíbrio do ecossistema, sendo útil para avaliar o estado de conservação da biodiversidade

Especialistas acreditam que a variedade de formigas tende a aumentar em razão da complexidade dos ambientes. 

Isso se demonstra no fato de haver uma presença maior desses insetos em sistemas orgânicos de produção, indicando uma maior sustentabilidade desse modelo. 

As formigas atuam em diferentes processos ecológicos, tais como:

  • contribuem para a aeração e a fertilidade do solo, proporcionando uma maior diversidade de nutrientes;  
  • possuem relevante atuação como dispersoras de sementes;
  • alguns tipos de formigas podem atuar como polinizadoras de plantas; 
  • são importantes no manejo integrado de pragas, por atuarem como predadoras de insetos-praga. 

Conclusão sobre os tipos de formigas

Como vimos no presente artigo, diferentes tipos de formigas podem ter atuação relevante no contexto agrícola.

As formigas-cortadeiras, divididas em saúvas e quenquéns, são famosas por causarem severos danos à produção, provocando o desfolhamento total ou parcial dos cultivos.

Outros tipos de formiga podem gerar o aumento da incidência de insetos sugadores de seiva, ao estabelecerem uma associação com estes em troca do acesso ao seu honeydew

As espécies Solenopsis spp. e Wasmannia auropunctata causam dificuldades aos trabalhadores rurais devido a suas desconfortáveis ferroadas. 

No entanto, longe de serem simples vilãs, as formigas podem ser benéficas ao agrossistema, por contribuírem para a fertilidade do solo, atuarem na dispersão de sementes e serem predadoras naturais de pragas.

Por esse motivo, manter a população de formigas em um nível de equilíbrio é fundamental.

Entender sobre tipos de formigas e seus hábitos torna-se essencial para produtores rurais e distribuidores de insumos que precisam conhecer as técnicas adequadas de manejo de pragas e doenças. 

Aproveitamos para apresentar aos leitores o crédito TerraMagna para distribuidores de insumos

Nossa equipe ajuda a conectar CPRs, duplicatas e outros títulos que o distribuidor de insumos recebe do produtor rural com investidores do mercado de capitais.

Os investidores podem “comprar” esses documentos, possibilitando que o distribuidor receba o dinheiro à vista. 

Quer entender melhor como funciona esse processo?

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades