TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Sementes de soja, com o crédito certo, você consegue elevar sua produtividade.

Tratamento de sementes de soja: você sabe como realizar o procedimento corretamente?

O tratamento de sementes de soja é um assunto que está sempre em alta. Este ano, apenas a título de ilustração, os resultados não foram positivos para essa cultura, inclusive, chegou a prejudicar o PIB da agropecuária. 

No primeiro trimestre de 2022, a produção registrou queda de 0,90% em relação ao quarto trimestre de 2021 e de 8% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, de acordo com dados da Sociedade Nacional de Agricultura, SNA.

De qualquer forma, pode ser que tenha uma mudança de expectativas, e ocorra um crescimento de 1% e 1,50%. Vamos aguardar. 

Dito isso, o tratamento de sementes de soja é indispensável para o agricultor que deseja obter uma lavoura com estande adequado, plântulas vigorosas e, claro, mais produtivas. 

Para entender mais sobre o assunto você pode clicar aqui e recordar o primeiro artigo que escrevemos e, certamente, continuar sua leitura aqui até o fim. Boa leitura! 

Qual a importância do tratamento de sementes de soja? 

O tratamento é importante para que todo o processo que envolve a produção da soja dê bons resultados ao produtor agrícola. 

O cuidado começa com a escolha das sementes, por exemplo. Então, é preciso dar preferência para aquelas com altas qualidades física, fisiológica, genética e sanitária. 

Lembrando que sementes com alta qualidade sanitária são livres de fitopatógenos. Quando associados se tornam um dos meios mais eficientes de se introduzir e acumular inóculo de patógenos em áreas de cultivo.  

Como consequência, terá redução significativa do poder germinativo e do nível de vigor das sementes. Além disso, ainda irá diminuir consideravelmente a produtividade e aumentar o custo de produção. 

Na prática, isso significa um prejuízo imensurável. Na maioria das vezes, nem sempre é possível reverter o quadro, mesmo com a aplicação de defensivos agrícolas, por exemplo. 

O que é tratamento de sementes de soja?

O tratamento de sementes nada mais é do que uma técnica que visa garantir a qualidade sanitária das sementes. 

Para isso, o agricultor poderá, de acordo com a necessidade, aplicar produtos químicos eficientes para combater fitopatógenos, principalmente fungos associados às sementes ou presentes no solo.

Além disso, ainda poderá encontrar estratégias para evitar o ataque inicial de pragas específicas do solo, protegendo as plântulas durante o processo germinativo e de emergência.

Quais são os principais fungos que podem ser transmitidos pelas sementes?

Entre os principais fungos transmitidos via sementes e causadores de doenças na cultura da soja, podemos elencar aqui: 

  • Phomopsis sp. (queima da haste e da vagem); 
  • Colletotrichum dematium var. truncata (antracnose); 
  • Cercospora kikuchii (mancha púrpura); 
  • Macrophomina phaseolina (podridão negra das raízes); 
  • Rhizoctonia solani (tombamento e morte em reboleira); 
  • Sclerotinia sclerotiorum (podridão branca da haste e da vagem); 
  • Fusarium sp. 

Além de outros dois fungos que são responsáveis por perdas significativas ainda durante o armazenamento dos grãos: Aspergillus e Penicillium. Sendo Aspergillus flavus o mais comum. 

Como é feito o tratamento de sementes de soja? 

Hoje em dia, uma das formas mais eficientes de tratamento consiste na aplicação de inseticidas e fungicidas. Ambos apresentam bons resultados no controle de insetos-praga, que costumam atacar áreas ou lavouras. 

Entre as principais pragas que atacam a cultura da soja, estão: 

  • tamanduá-da-soja (Sternuchus subsignatus);
  • corós (Demodema brevitarsis, Diloboderus abderus e Plyllophaga triticophaga);
  • vaquinhas (Diabrotica speciosa e outras espécies); 
  • lagarta elasmo ou broca-do-colo (Elasmopalpus lignosellus);
  • lesmas e caracóis.

As sementes podem ser tratadas tanto na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) quanto na propriedade, antes da semeadura. 

Quanto ao tratamento realizado na UBS, em muitas empresas o tratamento de sementes industrial (TSI) está incluso nas etapas do beneficiamento das sementes. 

Normalmente, ele é feito com o auxílio de equipamentos especiais e altamente sofisticados. 

Além disso, ainda podem combinar a aplicação de fungicidas, inseticidas, micronutrientes, nematicidas, entre outros. 

Tratamentos como esse conquistaram espaço no mercado verticalizado de sementes de milho, essa tecnologia já está estabelecida. 

Grande parte das empresas que vendem as sementes realizam o tratamento ainda no pré-ensaque, antes do armazenamento ou quando entregam as sementes para o produtor.

Além disso, esse tratamento feito na USB apresenta boas vantagens se comparado ao tratamento convencional (tambor). Entre eles, destacamos: 

  • maior precisão do volume de calda e quantidade de sementes a serem utilizadas;
  • melhor cobertura da semente com o produto químico; 
  • menor risco de intoxicação dos operadores;
  • maiores rendimentos por hora (já existem no mercado máquinas para tratamento industrial, com capacidade de tratar até 20 toneladas de sementes por hora). 

Quais cuidados devem ser tomados com o tratamento via USB?

Apesar de os benefícios que o tratamento de sementes de soja via USB serem interessantes, é preciso cuidado. 

Cuidado esse relacionado aos pacotes de tratamento de sementes. Na maioria das vezes, são usados diversos produtos na mesma semente. 

Trata-se de uma combinação de fungicidas, inseticidas, inoculantes, micronutrientes, nematicidas, reguladores de crescimento e polímeros. 

Isso pode causar fitotoxicidade às sementes, além, claro, do impacto ambiental negativo. 

Afinal, o excesso de produtos utilizados, nem sempre necessários por sinal, em determinadas realidades agrícolas ou situações podem causar danos irreversíveis. 

Além disso, o efeito fitotóxico pode afetar a qualidade fisiológica das sementes, reduzir a germinação e a emergência de plântulas, por provocar engrossamento, encurtamento, rigidez e fissuras longitudinais em hipocôtilos. 

É mais comum que isso provoque também semeaduras profundas, atrofia do sistema radicular, retardamento do desenvolvimento vegetativo da parte aérea das plantas, associado ao encurtamento da distância de entrenó. 

Em alguns casos, ainda pode causar a presença de multibrotamento no nó cotiledonar, reduzindo o estabelecimento e a produtividade da cultura.

Por isso, é essencial que os agricultores mantenham-se atentos à forma que o mercado impõe esses pacotes de tratamento de sementes.

Qual o objetivo do tratamento de sementes de soja? 

O principal objetivo do tratamento de sementes de soja é acabar de uma vez por todas, ou reduzir drasticamente, os fungos que podem acometê-las. 

Além disso, ainda conseguir protegê-las dos patógenos do solo e da própria semente, quando as condições de semeadura não estão tão boas. 

Como resultado, então, o produtor poderá obter as populações adequadas de plantas, após implementar essa prática. 

Apenas uma observação importante, o tratamento não irá contribuir com o aumento da viabilidade da semente. 

Se a baixa germinação for causada por dano mecânico, deterioração por umidade, ataque de percevejos e armazenagem inadequada, de nada irá adiantar aplicar fungicidas.  

Agora, se a baixa qualidade da semente for por causa de fungos, aí sim o tratamento irá proporcionar incrementos dessas características.

Quando o agricultor deve dar início ao tratamento? 

O ideal é que o agricultor dê início ao tratamento de sementes de soja quando: 

  • as sementes estiverem contaminadas com fungos fitopatogênicos (confirmado mediante teste de sanidade de sementes);
  • as condições de semeadura não forem favoráveis (chuvas intensas, solo compactado, semeadura profunda, baixa disponibilidade hídrica, baixas temperaturas ou umidade alta).
    Quando isso acontece, as sementes tratadas apresentam grande diferença entre obter boa população de plantas e um estante falhado.
    Isso porque quando notados logo no início, é necessário na maioria das vezes replantar. 
  • em casos de práticas de rotação de culturas ou de cultivo em áreas novas;
  • por último, quando da utilização da solução açucarada na inoculação com a bactéria Bradyrhizobium japonicum.
    O açúcar usado nesse processo é como uma isca, digamos assim, que os fungos do solo.
    Algumas pesquisas revelam que utilizar uma solução açucarada sem o fungicida, pode causar danos ao campo. 

Então agora já sabe, assim que notar um dos indícios mencionados acima, não espere para fazer o que for necessário. 

Outro ponto de atenção para o agricultor ficar de olho

Além das condições apresentadas no tópico anterior, o agricultor deverá estar de olho também ao fato de que a soja dá início ao processo de germinação. 

Depois, emerge rapidamente, quando plantada em solo de boas condições. 

Isso quer dizer, basicamente, disponibilidade suficiente de água e, também, temperatura adequada. 

Quando isso não acontece, a semente fica armazenada no solo esperando condições favoráveis para começar o seu desenvolvimento. 

Durante esse período, a germinação e emergência da soja podem ser mais lentas. Isso faz com que aumente as chances de os fungos do solo e da própria semente atacarem. O que, claro, ocasiona sua deterioração no solo ou morte das plântulas. 

Diante dessas circunstâncias, acaba sendo importante o tratamento de sementes de soja com fungicidas. 

Essa prática costuma apresentar benefícios quando a semente ou a plântula são submetidas a diversos tipos de estresse durante as duas primeiras semanas após a semeadura. 

O fungicida cria uma zona de proteção à semente contra os microorganismos do solo.  

Breve história sobre a origem do tratamento de sementes

Em 1981, foi ordenada a primeira recomendação de tratamento de sementes para a maioria dos estados produtores do Brasil. 

Mas foi só dois anos depois que a técnica passou a ser adotada em Santa Catarina e Rio Grande do Sul também. Desse modo, todas as regiões já estavam cientes sobre a nova prática.  

Ainda aqui no Brasil, depois de 32 anos, após a primeira recomendação, a tecnologia de tratamento de sementes de soja passou por diversos avanços. 

Hoje, cerca de 90% das sementes de soja brasileira são tratadas com fungicidas e 80% com inseticidas, de acordo com os dados do Instituto Agronômico de Campinas (IAC).  

Ao terminar de ler este artigo, você deve ter notado a importância de, quando necessário, entrar com o tratamento de sementes de soja, a fim de evitar grandes perdas e, claro, gastos desnecessários. 

TerraMagna: crédito para o agricultor agrícola

Todo agricultor sabe que na hora de cuidar da sua lavoura, todo cuidado é pouco. As adversidades podem ocorrer a qualquer momento. 

Quando isso acontece, nada como ter direito ao crédito rápido e fácil que só a TerraMagna pode proporcionar. Venha conversar com um de nossos especialistas e descubra como podemos ajudar você.

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades