TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Um pouco de ureia mostrando o zoom dos graos brancos

Ureia: 3 vantagens de usar esse fertilizante na sua plantação

A adubação é uma das práticas mais importantes para a atividade agrícola, sendo que o uso de fertilizantes contendo ureia é altamente popular no Brasil. 

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a importação de fertilizantes no país bateu recorde em 2021, chegando a mais de 41 milhões de toneladas. 

Esse alto número só comprova a importância do uso de insumos para manter em alta a produtividade em solo brasileiro, afinal, o país é um dos maiores produtores mundiais. 

O alto teor de nitrogênio e baixo custo, fazem da ureia agrícola uma alternativa interessante aos produtores. 

Neste artigo, nós vamos te explicar mais sobre esse tipo de fertilizante, seus benefícios, aplicações em determinadas culturas e muito mais, boa leitura!

O que é ureia agrícola?

A ureia é um fertilizante agrícola bastante utilizado na adubação de plantas, devido à sua eficácia na produtividade. 

O fertilizante sólido granulado tem a composição CO(NH2)2 e é uma fonte rica em nitrogênio, com cerca de 44% a 46% do elemento químico. 

A sua sintetização ocorre por meio de pressão e temperatura elevadas, a partir da amônia e do gás carbônico. 

Histórico da ureia 

A ureia foi descoberta no século XVIII e só foi sintetizada de maneira artificial em 1828, pelo médico alemão Friedrich Wohler. 

Essa ação foi considerada um marco histórico da química orgânica, justamente por ir contra a teoria de que os compostos orgânicos só poderiam passar pela sintetização se ela acontecesse por meio de organismos vivos. 

No entanto, a sua produção em escala industrial só foi acontecer em 1870. Outro marco importante foram os resultados dos trabalhos de Krebs no começo da década de 1930, que falava sobre os seus meios de produção e metabolização.

A princípio o foco era a alimentação dos ruminantes, que aconteceu devido a escassez de alimentos causada pela 1ª guerra mundial.

Isso fez com que a Alemanha tivesse que intensificar a produção de alimentos ao mesmo tempo que reduzia os custos com suplementação proteica, barateando assim a produção de carne e leite.

Atualmente, a síntese entre amônio e CO2 é usada como forma de produção de ureia, processo iniciado em 1913 por Fritz Haber.

A importância do nitrogênio na agricultura

Para podermos compreender a importância da ureia na agricultura, precisamos primeiro conhecer a atuação do nitrogênio nas culturas. 

O nitrogênio é um nutriente essencial para a produtividade e qualidade de culturas, especialmente em regiões como o Cerrado, onde a disponibilidade dele é baixa e prejudicial ao desenvolvimento das plantas. 

O elemento químico é o quarto mais demandado pelos vegetais, ficando apenas atrás do carbono, hidrogênio e oxigênio. 

Apesar de estar presente no solo, muitas vezes a quantidade é insuficiente para atender às necessidades dos cultivares. 

O papel do elemento está essencialmente ligado ao metabolismo vegetal, pois participa ativamente da biossíntese de proteínas e clorofila nas plantas.

Além de aumentar a produtividade da cultura, a substância também tem um bom custo-benefício e é absorvida com facilidade pelas culturas, fazendo assim com que o seu uso seja alto.

Ausência de nitrogênio e os seus prejuízos

A exigência maior de nitrogênio pelas plantas está concentrada nos estágios iniciais de seu desenvolvimento. 

Quando há insuficiência do elemento, o crescimento da planta é retardado e as folhas mais velhas apresentam um aspecto verde-amarelado.

De acordo com estudos da Embrapa, a falta severa do nutriente pode levar à diminuição no tamanho dos chamados folíolos, sendo que as nervuras principais apresentam uma cor púrpura que contrasta com o verde-pálido das folhas.

Portanto, a ureia, que é considerada um fertilizante nitrogenado que assimilável pelas plantas, atua como repositor do nutriente. 

Assim sendo, elas conseguem recuperar a sua vitalidade e continuar o seu desenvolvimento saudável por meio de sua aplicação. 

Quais os benefícios de usar ureia como fertilizante?

Após explicarmos mais sobre o nitrogênio, que é um importante composto da ureia, é hora de entender quais os benefícios desse fertilizante para a atividade agrícola. 

Revitalizar plantas

Uma das principais funções da ureia quando aplicada nas plantas é promover a sua revitalização. 

Quando o nitrogênio não é o suficiente, ele causa o amarelamento de folhas, diminui seu crescimento e afeta a sua produção. 

Com o uso da ureia, o produtor acaba com o problema de maneira simples e eficaz, fazendo assim com que a planta recupere a sua vitalidade.

Menos perdas

A ureia contém uma quantidade relativamente elevada de nitrogênio, mais especificamente 44% em sua composição. Por outro lado, fertilizantes como o sulfato de amônio possuem cerca de 20%. 

Mesmo com perda de metade do nitrogênio contido em uma saca de ureia, a quantidade aplicada vai sobrepor a uma eventual saca de fertilizante com sulfato de amônio.

Bom custo-benefício

Os custos de insumos agrícolas podem pesar bastante no orçamento, ainda mais quando se trata de produtos como fertilizantes. 

A grande vantagem de poder contar com a ureia agrícola é que a opção tem um bom custo-benefício, gerando um alto índice de aproveitamento nas lavouras.

Aplicação de ureia em diferentes culturas

O fertilizante feito a partir da ureia que pode ser aplicado em culturas distintas e isso traz algumas especificidades, a seguir você vai conhecer alguns exemplos!

Milho

Quando se trata da utilização da ureia na cultura do milho, o recomendado é que a aplicação seja feita quando a cultura já estiver bem nutrida de nitrogênio. 

Isso acontece lá pela fase V5 em que os componentes de rendimentos já estão definidos. 

No entanto, as recomendações devem ser baseadas na exigência nutricional da cultura, histórico de plantio e outros. Logo, vale a pena estar atento a essa questão antes de adotar o produto.

Feijão

O feijão é uma cultura que se caracteriza por ter uma boa fixação de nitrogênio, mas nem sempre o que é fixado ajuda no pleno desenvolvimento da cultura.

O nitrogênio tem a absorção durante todo o ciclo da cultura com pico entre o 35º e o 50º dia após a emergência. 

O indicado é que sejam feitas duas aplicações quando ocorrem em altas dosagens, sendo a primeira entre 15 e 20 dias e a segunda até 35 dias da emergência da cultura. 

Trigo

A adubação com ureia também é recomendada para os cereais de inverno, como o trigo, justamente tendo em vista o teor de matéria orgânica dos solos para que a cultura possa obter produtividade e textura. 

A aplicação deve acontecer em pequenas doses quando feita no plantio e em doses maiores quando a cobertura for aplicada entre 20 a 40 do pós-emergência dos cereais.

A dosagem varia conforme o teor de matéria orgânica dos solos e a produtividade desejada, sendo que ambos os fatores influenciam bastante na quantidade. 

Quais os cuidados para evitar a perda de ureia?

O nitrogênio apresenta características que fazem com que ele apresenta alta solubilidade e facilidade de mistura com outros fertilizantes. 

No entanto, ele também pode ser facilmente perdido dada a higroscopicidade (absorção de umidade do ar) e a sua suscetibilidade à volatilização.

Portanto, quando for aplicar a ureia em sua plantação, faça com que a tarefa seja feita antes da chuva ou irrigação, ou seja, que o local esteja seco para depois expô-la à umidade.

Caso a ureia seja aplicada em solo úmido e não chova logo após, são grandes as chances dela se transformar em amônia, que é um gás que evapora junto com a água. 

Outro ponto é que a ureia quando aplicada em folhas molhadas pode causar queimaduras consideradas irreversíveis na planta, por isso, tenha cuidado.

Para evitar perdas do produto, especialmente a liberação de amônia, o mais indicado é enterrar a ureia a uma profundidade de 5 cm no solo.

E por mais benéfica que seja a aplicação da ureia nas culturas, ela precisa vir acompanhada de um manejo do solo adequado. 

Esse trabalho está ligado à rotação de culturas, aplicação de fertilizantes e auxílio de agrônomos especializados em adução, sendo essencial para obter bons resultados. 

O que fazer ao aplicar a ureia?

Ao aplicar a ureia na sua cultura é importante tomar alguns cuidados, principalmente, para evitar problemas ligados à saúde do aplicador: 

  • não fume, beba ou coma durante a aplicação; 
  • não aspire a poeira do produto, ela contém amônia; 
  • evite o contato com olhos e pele; 
  • use equipamentos de proteção individual apropriados; 
  • faça aplicação em locais apenas com boa ventilação.

Além desses cuidados, é preciso se lembrar de armazenar a ureia em um local seco, já que ela tem poder corrosivo.

O ambiente precisa não só estar seco, mas também exposto a baixas temperaturas e ser bem ventilado. 

Conclusão

A ureia agrícola é um dos adubos de maior importância no cenário produtivo brasileiro, tendo em vista seus altos teores de nitrogênio e bom custo-benefício. 

O alto teor do elemento químico é o ideal para manter uma produtividade alta e ainda garantir a vitalidade de plantas. 

Para poder aproveitar todos os benefícios do fertilizante é preciso saber como aplicá-lo, levando sempre em consideração os cuidados, por ser um composto químico. 

Além disso, é preciso investir em produtos de qualidade, boas práticas de aplicação e monitoramento, o que exige recursos financeiros. 

Para isso, conte com a TerraMagna, nós oferecemos soluções de crédito rural para você investir em insumos agrícolas para a sua propriedade. 

Quer saber mais como funciona a liberação de crédito?

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades