TerraMagna Logo
Portal do
produtor rural
Com o Financiamento Agrícola justo e rápido, você consegue o limite que precisa para sua safra nunca parar!

Financiamento agrícola: descubra como custear a sua produção

O financiamento agrícola tem como principais objetivos o desenvolvimento econômico e social do agronegócio e disponibilizar recursos para o produtor investir na lavoura.

As fontes de financiamento do crédito rural são de recursos específicos, que podem ser considerados controlados e não controlados.

São considerados recursos controlados aqueles de caráter obrigatório, ou seja, financiamentos de cunho público. Entre eles estão:

  • investimentos operações de crédito, sob supervisão do Ministério da Fazenda;
  • crédito rural, quando sujeito à subvenção da União;
  • recursos administrados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES);
  • o uso da poupança rural com a finalidade de financiar o custeio ou de comercialização;
  • os fundos constitucionais de financiamento regional; 
  • Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé).

Os demais são enquadrados na modalidade recursos não controlados.

Do mesmo modo, o financiamento agrícola ainda pode ser dividido em 4 modalidades: custeio, comercialização, industrialização e investimentos.

O Plano Safra 2020/2021 destinou R$ 236 bilhões aos produtores rurais, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Por outro lado, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) indica que cerca de 38% dos produtores rurais do país ainda não têm acesso ao financiamento rural.

Dessa forma, decidimos escrever este artigo para ajudar você a se munir das informações e a conhecer os canais que devem ser procurados.

Quais as principais fontes de financiamento agrícola?

  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • fontes fiscais: BNDES;
  • depósitos à vista;
  • poupança rural;
  • fundos constitucionais.

Financiamento agrícola BNDES
 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é uma instituição pública federal vinculada ao Ministério da Economia. 

Conheça, a seguir, suas principais linhas de financiamento agrícola:

  • Moderfrota – Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras;
  • Programa ABC;
  • Inovarão;
  • Moderagro;
  • Moderinfra;
  • PCA;
  • Prodecoop;
  • BNDES Agro;
  • BNDES Prorenova;
  • Procap-Agro;
  • Pronaf Agroindústria;
  • Pronaf Mulher;
  • Pronaf Bioeconomia;
  • Pronaf Jovem;
  • Pronaf Microcrédito;
  • Pronamp – Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural;
  • BNDES Revitalização de Ativos – Crédito revitalização de ativos direto.
     

Financiamento agrícola Banco do Brasil

O Banco do Brasil (BB) é uma instituição que contém 50% das ações relacionadas ao Governo Federal.

O BB costuma apresentar boas soluções ao produtor que precisa de recursos financeiros para facilitar operações das atividades ou cobrir gastos emergenciais.

Em síntese, as linhas de crédito financiam as despesas do ciclo de produção em qualquer período da atividade.

Confira todas as linhas de crédito dividido pelas subáreas de interesse, veja a seguir:

Crédito de custeio:

  • Pronamp Custeio;
  • Crédito Rural Pronaf Custeio;
  • Pronaf Agroindústria;
  • Custeio Agropecuário;
  • Funcafé Custeio;
  • BB CPR (Cédula de Produto Rural); 

Crédito rural para investimento:

  • ABC – Agricultura de Baixo Carbono;
  • FCO Investimento Agropecuário;
  • Moderagro;
  • Moderfrota;
  • Moderinfra;
  • Pronamp Investimento;
  • Investe Agro;
  • Inovagro;
  • Pronaf Grupo B;
  • Pronaf Agroindústria Investimento;
  • Pronaf Florestal;
  • Pronaf Agroecologia;
  • Pronaf Eco;
  • Pronaf Eco Dendê/Seringueira;
  • Pronaf Mulher;
  • Pronaf Jovem;
  • Pronaf Semiárido;
  • Pronaf Mais Alimentos;
  • Crédito Fundiário; 

Linhas de crédito para comercialização:

  • Financiamento de Garantia de Preços ao Produtor (FGPP);
  • Desconto de NPR;
  • BB FEE PGPM – Financiamento para Estocagem;
  • CPP – Comercialização Produção Própria;
  • PCA – Construção e Ampliação de Armazéns.

Caixa

A Caixa Econômica Federal, ou simplesmente Caixa, é um dos bancos que criou linhas de crédito rural para atender a um dos setores que mais cresce no Brasil: o agronegócio.

O Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), criado pela Caixa para o custeio rural, tem como limite até R$ 3 milhões por ano, com prazo de reembolso de até 2 anos.

Já para as operações de investimento, o limite de crédito é de R$ 430 mil por beneficiário por ano, com prazo de reembolso de até 12 anos, incluídos 3 anos de carência.

Conheça os tipos de produtos oferecidos:

  • industrialização;
  • estocagem;
  • giro Caixa Agro;
  • FGPP – Financiamento Para Garantia de Preços ao Produtor;
  • adiantamento a cooperados;
  • custeio Caixa;
  • custeio de integração;
  • fornecimento a cooperados;
  • investimento Caixa;
  • Industrialização Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar;
  • PSI – Programa de Sustentação do Investimento Rural.

Financiamento agrícola Banco do Nordeste

No Banco do Nordeste, a União é a sócia majoritária. Trata-se de uma instituição financeira controlada pelo Governo Federal.

Seus limites de financiamento são estes:

  • grande produtor = 50%;
  • miniprodutor = 100%;
  • médio produtor II = 70% a 85%;
  • médio produtor I = 80% a 95%;
  • pequeno produtor = 100%;
  • pequeno-médio produtor = 90 a 100%.


Suas linhas custeiam:

  • desmatamento legal;
  • correção do solo;
  • instalações, máquinas e implementos;
  • construção, reforma e ampliação; 
  • veículos e embarcações;
  • compra de animais;
  • peças de reposição e manutenção.

Financiamento agrícola Bradesco

Fundado em 1943, o Banco Bradesco é um grupo financeiro do Brasil que apresenta soluções específicas e linhas de financiamento para cobrir despesas do ciclo produtivo. 

Além disso, são feitos investimentos e há o trabalho de alavancar a comercialização de produtos agrícolas. Observam-se as seguintes ações:

  • Pré-custeio – Custeio agrícola: cobrir despesas específicas do ciclo de produção de lavouras temporárias (como arroz, milho e soja) ou permanentes (como café e laranja);
  • Custeio pecuário: cobrir despesas específicas de manutenção da pecuária;
  • Custeio pecuário integração: destinado a empresas ou a grupos que utilizam produtores integrados parceiros para engordar aves e suínos;
  • Investimento agrícola e pecuário: financia investimentos que durem mais de 1 ciclo produtivo, como o plantio de cana-de-açúcar;
  • Fornecimento a cooperados: para adquirir insumos, tais como sementes, fertilizantes, defensivos, ração, calcário, entre outros, ou bens de capital para fornecimento aos cooperados;
  • FEE – Financiamento Especial para Estocagem de Produtos Agropecuários: destinado à aquisição e à estocagem de produtos agrícolas já faturados, com preço de referência ou amparados pela Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM);
  • Adiantamento a Cooperados: adianta aos cooperados por conta entregue na cooperativa de produtores rurais para comercialização, desde que a cooperativa industrialize o produto;
  • FGPP – Financiamento Para Garantia de Preços ao Produtor: permite a venda da produção por valor não inferior ao preço mínimo – para os produtos amparados pela Política de Garantia de Preços Mínimos ou ao preço de referência fixado;
  • Desconto de Nota Promissória Rural: garante a antecipação de recursos aos produtores ou às cooperativas de produtores rurais (beneficiários/proponentes), por meio do Desconto de Nota Promissória Rural, proveniente de venda a prazo;
  • BNDES Procap Agro: disponibiliza recursos para capital de giro a fim de atender a necessidades operacionais de fluxo de caixa e de recuperação e reestruturação patrimonial das cooperativas agropecuárias;
  • Industrialização Agroindústria Familiar Pronaf: financia despesas necessárias ao processo de beneficiamento ou industrialização, exceto a compra da matéria-prima que será processada;
  • Funcafé: financia recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para as modalidades de capital de giro, custeio, estocagem e compra de café.

Sicredi

O Banco Sicredi apresenta um sistema de cooperativas de crédito, com agências espalhadas por todo o território brasileiro.

Eventualmente, disponibiliza as seguintes linhas de crédito e financiamento rural:

  • Custeio agropecuário;
  • custeio Pronaf; 
  • Proirriga (Programa de Financiamento à Agricultura Irrigada e ao Cultivo Protegido);
  • PCA – Programa para Construção e Ampliação de Armazéns;
  • Pronaf Investimentos – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar;
  • investimento agropecuário;
  • FCO Desenvolvimento Rural;
  • CPR – Cédula do Produtor Rural;
  • comercialização;
  • FGPP – Financiamento para Garantia de Preço ao Produtor;
  • industrialização;
  • custeio Pronamp;
  • custeio demais produtores;
  • aquisição de insumos para fornecimento a cooperados;
  • custeio pecuário integradoras;
  • ABC – Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura;
  • BNDES Crédito Rural;
  • BNDES Projeto de Investimento – Agropecuário;
  • Inovagro – Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária;
  • Moderagro – Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais;
  • Moderfrota – Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras;
  • Proagro.

Financiamento agrícola TerraMagna

A TerraMagna chega ao mercado revolucionando o jeito de solicitar o crédito agrícola.

Nesse sentido, a ideia da empresa é desburocratizar o processo com o auxílio da tecnologia e criar uma experiência simples e segura para todos os envolvidos.

Como resultado, a fintech reduziu o tempo de espera da aprovação de crédito, que normalmente levava de 6 a 8 meses para apenas 1 ou 2 semanas, no máximo.

Confira a tríade do sucesso:

Análise: ocorre, detalhadamente, uma análise de todas as possíveis negociações entre o produtor rural e a distribuidora de insumos:

  • satélites;
  • processamento de dados;
  • dados governamentais;
  • inteligência artificial.
     

O produtor pode aproveitar a liberdade para escolher uma distribuidora de insumos ou pedir uma indicação dos nossos parceiros.

Mercado Fundo de Capitais: após analisar, ocorre nossa interpretação desses dados, o que é possível com nossa inteligência artificial exclusiva.

Mostramos os resultados para os investidores, garantindo melhores condições ao produtor rural.

Pagamento de insumos à vista: com a aprovação da proposta, ocorre o pagamento 100% à vista dos insumos para a distribuidora.
Em outras palavras, a TerraMagna conecta suas CPRs, duplicatas e outros títulos do agro com o mercado de capitais, a fim de que investidores comprem esses documentos e você receba o capital à vista.

Com isso, contêm-se os custos no processo de análise e oferta para o distribuidor.

Assim, os distribuidores de sementes, fertilizantes, adubos, adjuvantes ou outros insumos agrícolas, assim como o produtor rural, saem satisfeitos.

Não inventamos a roda, mas garantimos que sua produção não pare: tudo isso com o melhor financiamento agrícola do mercado e com crédito rápido e justo!

Tá esperando mais o quê?

Converse com nossos especialistas!

Procurando um tema específico?

Gostou do artigo?

Receba gratuitamente conteúdos exclusivos e inéditos por e-mail, feitos pelos especialistas da TerraMagna.

Veja também

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Crédito seguro para o agronegócio

Av. Anchieta, 1078 – Jd Nova America

São José dos Campos – SP

Contato

 (12) 3923.3355

 [email protected]

(65) 9 9639.1505

Acompanhe as novidades